Como fazer olaria

Adquira o material necessário à modelagem, cozedura e vidrado em lojas da especialidade.

Barro

Compre numa olaria o barro já preparado para trabalhar. O barro que se destina a modelagem não deve ter impurezas; depois de tirado da barreira, é coado, amassado e feito em pélas de 10—15 kg, normalmente envolvidas em plástico. Pode escolher entre barro branco, que é melhor para receber vidrados coloridos, ou barro vermelho, que é mais adequado para receber vidrado transparente.

Material de modelagem

Vai precisar de algumas ferramentas de modelagem, de uma esponja, se for trabalhar à roda, e de uma prancha de trabalho. As peças de madeira ou de madeira e arame (para abrir orifícios) para trabalhar o barro chamam-se tecos.Faça em casa o seu fio de corte para cortar o barro, fixando um arame ou um fio de nylon forte a duas pegas de madeira. Trabalhe sobre uma superfície plana e resistente e coloque uma prancha por baixo do barro.

Antes de comprar um forno

 Existem fornos eléctricos, de lenha ou a gás. Os fornos novos são dispendiosos, mas talvez consiga adquirir um em segunda mão. Se fizer tenções de comprar um forno, certifique-se de que o fabricante é de confiança e facilmente acessível para se ocupar da manutenção e do fornecimento de peças. Se tiver possibilidade, frequente um curso prático de olaria e aprenda a trabalhar na roda de oleiro antes de comprar o equipamento necessário.

Modelagem

As peças simples ou pratos podem ser moldados à mão. Dois métodos simples de modelagem: por compressão e por rolos. A textura final das peças depende do seu gosto e imaginação. Se quiser, calque ou passe sobre o barro mole objectos do dia-a-dia para decorar a sua peça. Por exemplo, calque bordado inglês ou renda grossa ou passe uma carretilha para conseguir efeitos em peças decorativas e use um passe-vile para fazer os fios de cabelo de uma figura de barro.

Acabamentos para peças de barro não cozido e barro cozido

O barro não cozido pode ser pintado com tintas especiais e envernizado. O barro que se destina a ser cozido presta-se a vários acabamentos. Pode, por exemplo, pintar a peça em cru com barros de cor, a chamada técnica de engobes, e depois cozê-la. Ou, depois de cozida, levar a peça de barro de novo ao forno para vidrar com vidro de cor ou vidro branco opaco, ou ainda com vidrado transparente depois de pintada.

Cozedura

Antes de cozer as peças, deixe-as secar completamente (mas nunca ao sol directo para não estalarem), o que demora mais ou menos tempo, conforme o tamanho da peça e a estação do ano. Na primeira cozedura,ou cozedura de chacota, a peça seca é cozida a cerca de 1000 °C. No forno, a temperatura aumenta progressivamente para permitir a evaporação gradual dos resíduos de água do barro e o arrefecimento processa-se também gradualmente.

Como colocar as peças no forno

As peças podem ser empilhadas umas sobre as outras, mas devem ser colocadas na vertical a pelo menos um dedo de distancia umas das outras quando vão ser vidradas. Retire as peças do forno quando estiverem quase frias. Depois da cozedura, reduzidas em cerca de 10% do tamanho, duras e fáceis de manusear, estão prontas a receber o vidrado.

Vidrado

Nas casas da especialidade, encontra vários tipos de vidrados, que deve aplicar de acordo com as instruções do fabricante. Os vidrados que cozem a baixas temperaturas apresentam uma maior variedade de cores do que os de altas temperaturas, mas riscam-se mais. Sopre, varra ou aspire a peça para retirar o pó. Ao manuseá-la, tenha cuidado com a gordura das mãos, pois sobre ela o vidrado não adere. Deite o vidrado sobre a peça e rode-a até estar completamente coberta ou mergulhe-a no vidrado e depois sacuda o excesso. Com um pincel, retoque as partes por onde segurou a peça. Não aplique vidrado na parte de baixo para que a peça não fique colada à prateleira do forno.

Cozedura do vidrado

 Deixe secar completamente e depois volte a colocar a peça no forno à temperatura indicada (930°C ou mais para vidrados de alta temperatura, 400 °C para vidrados de cor de baixa temperatura, ouro e lustres)


5 comentários

  1. maria souza 8 de Setembro de 2010
  2. yvette rato 28 de Setembro de 2011
  3. Cesar Fernando Pereira Vaz 3 de Março de 2012
  4. Cecilia Maria Carvalho Martins 8 de Setembro de 2012
  5. Alban carlos 3 de Julho de 2014

Adicionar Comentário