Envernizar, técnicas e reparações do envernizamento

Verniz vitrificável transparente

Este produto de acabamento permite que a textura natural da madeira fique visível e proporciona uma superfície dura que resiste ao escurecimento, às pancadas e mesmo à água a ferver. E excelente para aplicação em madeiras novas com poucos defeitos e escassa betumagem.

Aplicação

Elimine toda a gordura e cera com um abrasivo e aguarrás. Não aplique o produto enquanto a madeira estiver húmida.

Dê a primeira demão utilizando uma almofada de pano. Deixe secar pelo menos durante 6 horas e aplique depois as outras demãos com um pincel. Se deixar passar mais de 24 horas entre duas demãos, passe lixa de grão fino ou palha-d’aço de grossura média antes de aplicar outra demão.

Quando se pretende envernizar superfícies texturadas ou com contornos, é preferível usar um verniz em aerossol. Embora a preparação das superfícies seja idêntica, é preciso contar com a aplicação de diversas camadas leves de verniz em aerossol. Se uma camada levar verniz em excesso, é quase certo que este começará a escorrer ou a gotejar ao longo da superfície. Conserve a embalagem à distância recomendada da superfície a envernizar e mova-a paralelamente a esta num movimento contínuo. Deixe secar cada camada antes de aplicar a seguinte.

Envernizamento com boneca

Este acabamento tradicional emprega-se sobretudo nos móveis antigos. O seu elemento básico é a goma-laca dissolvida em álcool desnaturado.

A aplicação deste verniz é indicada para reparar um móvel antigo ou harmonizar uma peça com outras já existentes; embora excelente, este acabamento danifica-se facilmente em contacto com o calor ou líquidos.

Existem várias marcas de vernizes para aplicação com boneca, o que torna este trabalho muito simples para o amador, pois, feito com cuidado, dá resultados satisfatórios.

Preparação

A madeira deve ser cuidadosamente lixada e limpa e o fio betumado com um betume apropriado. Escolha o tom tendo em conta que os mais escuros escurecem consideravelmente a madeira. Antes de escolher uma cor, deve experimentá-la numa amostra da madeira onde vai aplicá-la.

Equipamento

Para a aplicação deste processo de envernizamento, o utensílio indispensável é a boneca, espécie de almofada de algodão em rama que actua como reservatório do verniz envolvida num pano de linho macio ou de algodão que actua como um filtro.

A boneca não deve ser mergulhada no verniz, o qual se deita directamente na almofada depois de retirado o pano. Evite um excesso de verniz.

Aplicação

Trabalhe com movimentos regulares, desenhando um oito, até que a madeira fique revestida com uma fina película de verniz. O objectivo é a aplicação de uma série de camadas, deixando apenas alguns minutos de secagem entre duas sucessivas.Certifique-se de que os cantos e as arestas ficaram bem revestidos de verniz. Logo que tiver obtido uma superfície plana e regular, a peça estará pronta para a segunda fase: a aplicação do álcool.

Deixe a obra repousar durante pelo menos oito horas e em seguida prepare uma outra boneca embebida em álcool desnaturado e envolvida por uma cobertura de dupla espessura. Esprema a boneca até esta ficar praticamente seca — o seu invólucro deverá ficar apenas humedecido — para que o álcool não dissolva o verniz.

A aplicação do álcool destina-se a remover os traços deixados pela boneca e a obter um acabamento brilhante. O movimento da boneca deve ser feito como o anterior — desenhando um oito —, aumentando a pressão à medida que a boneca vai secando. Substitua periodicamente o pano de revestimento até ao final da operação.

Por fim, trabalhe no sentido do veio da madeira até desaparecerem todas as manchas ou traços da boneca. Deixe endurecer. O envernizamento com boneca seca rapidamente, sendo, contudo, necessários vários dias para que adquira a sua dureza máxima.

Os polimentos à base de goma-laca podem também ser aplicados com uma trincha, mas deve deixar secar cada demão antes de passar uma lixa muito fina.

Reparações em superfícies envernizadas

É possível verificar se uma superfície foi envernizada com boneca esfregando-a com um pano sem pêlo embebido em álcool metílico. Uma ligeira passagem amolecerá imediatamente o verniz e deixará resíduos no pano. Outros tipos de verniz não são afectados pelo álcool.

Superfície riscada

Prepare uma solução de 5 partes de álcool metílico, 2 partes de óleo de linhaça e 1 parte de terebintina pura. Faça uma almofada de pano macio e trabalhe com um movimento em oito para espalhar bem a mistura pela superfície danificada. Se houver riscos profundos, utilize álcool metílico puro para amolecer o verniz, a fim de o espalhar bem pelas partes afectadas.

Grandes estragos

Retire por completo o acabamento com amoníaco, acetona ou diluente próprio. Em seguida, proceda como se fosse envernizar de novo.

Marcas de calor

Esfregue a área atingida com uma mistura de 1 parte de terebintina pura e 1 parte de óleo de linhaça puro ou canforado.

Álcool entornado

O álcool actua como um solvente no envernizado tradicional. Limpe assim que puder e deixe a superfície a secar. Se o álcool tiver removido o verniz, trate a área com um substituto de verniz. Aplique-o com uma trincha pequena até cobrir toda a superfície. Deixe endurecer, afague com lixa ultrafina e em seguida utilize a almofada como se se tratasse de uma superfície riscada.

Queimaduras de cigarro.

Retire cuidadosamente o verniz, estragado com a ponta de uma lâmina de barba. Cubra a zona danificada com cera virgem derretida, que pode adquirir nas lojas de tintas. Poderá necessitar de um corante vegetal para a cera virgem condizer com o acabamento.

Manchas de água

As manchas brancas no envernizado podem ser eliminadas em muitos casos esfregando a área com algodão limpa-metais. Esfregue vigorosamente para produzir calor. Com manchas escuras pode não resultar, sendo então necessário remover o verniz e envernizar de novo.

Atenção

Se tiver móveis antigos valiosos que necessitem de ser restaurados, é preferível mandá-los envernizar por um especialista nas técnicas de restauro. Deste modo, as peças não perderão o seu valor.


8 comentários

  1. Juarez Rodrigues da Conceição 21 de Outubro de 2010
  2. Grazieli Ramalho 22 de Julho de 2012
  3. Nilza Vinha 26 de Agosto de 2012
  4. Emerson Mendes Francisco 8 de Abril de 2013
  5. Jose Ipanga Ipanga 11 de Junho de 2013
  6. Antonio 1 de Dezembro de 2013
  7. Lenir Maia 1 de Julho de 2014
  8. Mayara Brayner Camus 2 de Dezembro de 2014

Adicionar Comentário