Como socorrer um nadador em pânico ou exausto

Não entre na água a não ser em último caso e, mesmo assim, apenas se for um nadador forte e experiente. Se pos­sível, evite o contacto directo com a pessoa em dificuldade; quem está em perigo de afogar-se encontra forças desesperadas que podem fazer perigar o hipotético salvador.

Se a vítima puder ser alcançada a par­tir de terra por exemplo, de um banco de areia, estenda-lhe uma vara, uma camisa ou um casaco a que possa agarrar-se. Peça a alguém que o segure a si para evitar ser arrastado, ou agarre-se a um objecto firme com uma das mãos enquanto ajuda a vítima com a outra. Se esta se encontrar demasiado longe de terra para poder alcançá-la directa­mente, atire-lhe qualquer coisa que bóie, como uma bola de praia ou uma bóia salva-vidas, que a mantenha a flu­tuar até que possa ser socorrida. Se ati­rar uma corda, tente que caia um pouco para lá da vítima para ser mais fácil puxá-la para perto dela.

Para proceder a um salvamento num barco pequeno, tente puxá-la sobre a popa, e não sobre um dos lados, a fim de evitar que o barco se vire. Encaixe os seus pés sob um banco fixo ou peça a alguém que lhos segure. Estenda-se sobre a popa e agarre os punhos da vítima, fazendo-a agarrar-se também aos seus.

Na água. Se está confiante de poder proceder a um salvamento na água, leve uma peça de vestuário, uma toalha ou outro objecto adequado que a vítima possa segurar. Se esta estiver consciente e a água calma, dê-lhe uma ponta do objecto, diga-lhe que se deite de costas e reboque-a para um lugar seguro.

Se a vítima estiver inconsciente, vire-a de costas, ponha a sua mão em redor do queixo dela e estenda o braço, Reboque-a, nadando de lado. Em água agitada, mantenha-lhe a cabeça fora de água, agarrando-a com um braço sobre o corpo e com a mão em redor das cos­telas inferiores; com a sua anca na parte inferior das costas da vítima, nade late­ralmente até um local seguro.

Se necessitar de controlar firmemente a vítima, segure-lhe no queixo por trás e puxe-lhe a cabeça até estar ao lado da sua de rosto virado para cima. Prenda–lhe o ombro com o seu cotovelo e nade em direcção a terra.

Como libertar-se. Vire-se rapidamente de costas e nade para fora do alcance da vítima se esta tentar agarrá-lo. Se neces­sário, empurre-a com o pé. Se a vítima tentar agarrá-lo pela frente, baixe o seu queixo sobre um ombro, segure-lhe os braços e empurre-os por cima da sua cabeça,

V. também socorro, como pedir.

Utilização de diferentes técnicas de salvamento:

Fale baixo e tranquilamente a um nadador em apuros enquanto procede ao salvamento, de modo a acalmá-lo. Se a vítima deixar de respi­rar, inicie a respiração artificial mal chegue a terra. Se for um bom nadador, treinado em salvamentos, comece a respiração boca-a-boca na água, nadando entre as inspirações.

Reboque com uma toalha: Em águas calmas e se a vítima estiver consciente e cooperar, dê-Ihe a ponta de uma toalha e diga-lhe que se deite de costas. Agarre na outra ponta da toalha e reboque a vítima para terra.

Reboque de uma vítima inconsciente: Em águas calmas e se a vítima estiver passiva ou inconsciente, agarre-a pelo queixo. Em seguida, conservando o braço estendido, reboque-a para terra nadando de lado.

Uma corda improvisada: Procure alcançar a vitima a partir da margem com qualquer coisa que lenha à mão. Ate peças de roupa para improvisar uma corda.

Reboque de uma vítima pelo queixo. Se a vítima estiver nervosa e precisar de ser controlada, agarre-a pelo queixo e puxe-a, de rosto para cima, até a cabeça dela se encostar à  sua, Prenda-lhe o ombro com o cotovelo e dirija-se para terra.


Adicionar Comentário