Como entreter-se a jogar cartas, mesmo sem parceiros.

Entre as muitas versões dos jogos de cartas de paciências, existem algumas que podem ser jogadas por dois jogadores. As variantes aqui apresentadas contam-se entre as favoritas para um só jogador.
Baralhe as cartas e forme o «quadro».   Coloque o resto das cartas de face para baixo (fechadas) à sua frente, para formar o monte, e observe o quadro. Se houver um ás exposto, retire-o do quadro para iniciar uma «base», sobre a qual irão sendo acumuladas cartas do mesmo naipe por ordem crescente. Volte ou abra a carta fechada que estava por baixo do ás. Se alguma carta exposta no quadro puder ser mudada de uma fila para outra para entrar numa sequência de ordem decrescente e cor diferente, mude-a e abra a carta fechada do fundo da coluna de onde a tirou.
Quando já não puder deslocar nenhuma carta exposta no quadro, abra a primeira carta do monte e encaixe-a numa fila ou numa base, se possível; depois, faça no quadro as mudanças permitidas pela inclusão dessa carta. Se ela não couber no quadro nem numa base, coloque-a de face para cima em frente ou ao lado do monte e abra a carta seguinte deste. A medida que o jogo vai progredindo, vão-se formando nas filas colunas de cartas abertas, que bloqueiam as cartas fechadas. Só podem ser movimentadas as cartas do topo e do fundo de uma coluna de cartas abertas, a carta do fundo individualmente e a carta do topo com o resto da coluna aberta subjacente.
Se uma fila do quadro ficou vazia, substitua-a por um rei, fazendo a partir dele uma nova sequência decrescente. Logo que um ás exposto der início a uma base, coloque sobre ela o 2, 3, etc, do mesmo naipe, à medida que forem ficando expostos.
Depois de esgotado o monte inicial, vire o monte de cartas não aproveitadas e recomece. O objectivo consiste em completar os naipes, desde a base, o ás, ate ao rei. O sucesso depende da exposição de cartas-chave durante o jogo.

Paciência do relógio

Nesta variante, as cartas são dispostas fechadas, em círculo, em 12 montinhos de quatro cartas, correspondentes aos números do mostrador de um relógio. As quatro cartas restantes são colocadas isoladas e ao acaso, fechadas, no meio do relógio.
O jogador começa por abrir a carta do topo do monte da 1 hora. Transfere-a aberta para o monte apropriado das horas (por exemplo, um 7 vai para a posição das 7 horas do relógio), depois abre a carta fechada do topo desse monte e transfere-a do mesmo modo. Os valetes valem 11, as damas 12 e os reis são trocados por uma carta do meio. O objectivo do jogo consiste em completar o relógio com todos os números abertos nos lugares

Jogo de cartas O quadro

Disponha sete cartas da esquerda para a direita, deixando a primeira carta aberta e as restantes fechadas. Disponha a fila seguinte sobre as últimas seis cartas, com a primeira carta aberta e as restantes fechadas. Continue a distribuição até à sétima fila, de Uma só carta aberta.
A base. Aqui, o ás de paus e o ás de ouros foram retirados do quadro para iniciar bases. Para fazer as sequências, usarm–se cartas expostas ou tiradas do monte. As três cartas do monte cabem desta maneira no quadro, o 3 vermelho sobre o 4 preto, o valete vermelho sobre a dama preta e a dama vermelha sobre o rei preto.


One Response

  1. Claudia 27 de Agosto de 2013

Adicionar Comentário