Como cuidar de relvados

Para manter o seu relvado verde durante as épocas secas, regue-o abundantemente uma ou duas vezes por semana, de preferência de manhã cedo, antes de o Sol estar alto. As regas mais reduzidas e frequentes têm como resultado a formação de raízes superficiais e o desenvolvimento das ervas daninhas.
Não corte a relva demasiado curta. A altura ideal é, em geral, de 3 cm. Nas épocas secas, ou sê é muito pisada, deixe-a crescer um pouco mais.
Comece os cortes regulares de um relvado já pegado no princípio da Primavera, quando a relva está seca e já alcançou uma altura de 5 a 8 cm. Antes de cortar, passe o relvado todo com a vassoura de arame.
O primeiro corte deve retirar um terço da parte superior da relva, mas depois pode usar um corte mais baixo — v. CORTADOR DE RELVA. Posteriormente, corte uma vez ou duas por semana até meados do Outono. Se a relva crescer incerta, corte-a uma vez mais alta, e três ou quatro dias depois, mais baixa.
Aproveite a relva cortada. No começo e no fim da estação, quando os cortes podem ser altos e o solo está húmido, junte a relva cortada e ponha-a sobre o monte de composto. Quando o solo está seco, pode deixá-la no relvado para apodrecer e adubar a relva. A razão por que só deve deixá-la sobre o solo na estação seca é para evitar o aparecimento de vermes, LESMAS E CARACÓIS.
Como adubar o relvado. Adubar uma vez por ano, na Primavera, é suficiente para a maioria dos relvados. Os ADUBOS que contém azoto, fósforo e potássio são os mais indicados. Existem muitas marcas no mercado, mas as especifica¬mente destinadas aos relvados têm geralmente uma elevada percentagem de azoto — que estimula um crescimento rápido e faz a relva verde. A pro¬porção e o tipo de nutrientes existentes no adubo vêm inscritos no rótulo da embalagem e sempre pela ordem referida. Por exemplo, 10-6-4 indica um adubo rico em azoto; 7-7-7 significa que o adubo contém partes iguais dos três nutrientes.
Escolha um dia em que a relva esteja seca, mas a terra húmida. Se o adubo for granulado, procure espalhá-lo por igual; um espalhador de adubo com rodas pode tornar a tarefa mais fácil. Regue em seguida.
Se o adubo for líquido, aplique-o com um regador. Marque o relvado com pedaços de cordel ou de fita para saber qual a área já tratada e impedir a repetição da adubação.
Problemas dos relvados. No Outono, a utilização regular de uma vassoura de arame retirará as folhas mortas e outros detritos que podem provocar doenças originadas por fungos, como a fusariose.

O arejamento é necessário uma vez por ano em solos pesados ou compactos. Melhora a drenagem e o crescimento e pode evitar o aparecimento de musgo. Escolha um dia em que a terra esteja húmida. Com uma vulgar forquilha de jardim, abra furos com a profundidade de 10 cm, e a intervalos de 10 cm, por todo o relvado; não maneje a forquilha com muita força para não estragar a relva. Para relvados grandes, pode utilizar arejadores mecânicos, que servem os mesmos fins.
As ervas daninhas isoladas que prejudicam o aspecto dos relvados podem ser tiradas à mão, arrancando-as com cuidado para não deixarem raízes na terra nem clareiras no relvado. Pode também usar herbicidas.
Os herbicidas selectivos combinados com um adubo apropriado podem ser aplicados na Primavera, segundo as instruções do fabricante, dois ou três dias antes ou depois de um corte. Se usar o herbicida e o adubo separadamente, aplique o herbicida três semanas após a adubação. Para herbicidas líquidos, use um regador de ralo fino, tendo o cuidado de não salpicar os canteiros próximos. Num caso e noutro, marque sempre com um cordel as áreas já tratadas para evitar a repetição.
O musgo num relvado é geralmente sintoma de excesso de água ou de sombra. Os herbicidas para musgo ou a areia para relvado (uma mistura de areia fina, sulfato de ferro e sulfato de amónia nas percentagens de 24-1-3 é uma das fórmulas) podem acabar com o musgo temporariamente. Contudo, ele voltará, a não ser que a causa seja anulada — por exemplo, melhorando o arejamento e a drenagem da terra ou cortando uma árvore alta que faz demasiada sombra no relvado.
As clareiras podem também ser o resultado de excesso de água ou da presença de uma árvore. Também nestes casos a causa tem de ser eliminada.
As clareiras devidas ao muito uso devem ser plantadas de novo na Primavera ou no final do Verão.
Revolva a terra e alise-a. Espalhe uma mão-cheia de adubo sobre cada metro quadrado e depois espalhe a semente. Proteja as sementes dos pássaros com rede e estacas e regue nos períodos secos.
Espécies para relvados. A maioria das misturas de sementes para relvado contém três ou quatro espécies de plantas misturadas para diferentes finalidades, corno, por exemplo, relvados de alta qualidade ou relvados resistentes onde as crianças possam brincar. No entanto, convém sempre ouvir a opinião de um técnico, pois as espécies a utilizar, além de variarem em função da finalidade do relvado, devem também ser as mais adequadas às condições ambientais. Seguem-se algumas indicações sobre as espécies mais usadas em relvados.
Relvados que podem ser pisados Grama («Cynodon dactylon»). E uma planta que cobre o solo no Verão. Muito rústica, propaga-se rapidamente. No Inverno, torna-se amarela. Propaga-se por pequenas estacas que enraízam facilmente.
Poa («Poa pratensis»). Propaga-se por pequenas estacas ou sementes e cresce rapidamente. E bastante resistente e tanto se dá bem em terrenos secos como húmidos.
Agróstis («Agrostis stolonifera»).
Planta vivaz de grande duração, mas crescimento lento. Utiliza-se em locais secos e soalheiros.
Festuca («Festuca rubra»). Planta vivaz de crescimento lento. É uma espécie muito resistente e dá-se bem em meia sombra.
Trevo («Trifolium repens»). É uma leguminosa rasteira muito rústica. Resiste bem em terrenos secos, mas não em excesso. Demora cerca de um ano a cobrir o solo. Se pretender obter um relvado nesse mesmo ano, deve misturá-la com Rye grass (Lolliiim perenne), que germina rapidamente e cobre o solo, criando condições para a germinação das outras.
Relvados que não devem ser pisados «Rye grass» («Lollium perenne»).
Cobre rapidamente o solo, mas não é muito resistente. Necessita de bastante humidade.
«Ophiopogon japonicum». Utilizada em zonas de sombra.
«Fragaria indica».
Propaga-se por estolhos rapidamente. O fruto não é comestível, mas é decorativo. Prefere terrenos sombrios e húmidos.


Adicionar Comentário