O que dá para fazer na Cirurgia Estética

A cirurgia estética, um dos ramos da cirurgia plástica e reconstrutiva, corrige principalmente deformidades e defeitos desagradáveis, como cicatrizes e man­chas, narizes disformes, papos debaixo dos olhos, papadas e tatuagens.

Raramente é possível realizar cirurgia estética sem deixar cicatriz, mas esta é quase sempre insignificante ou fica escondida junto da linha de implanta­ção do cabelo, por exemplo.

Consulte o seu médico. Se ele achar que a cirurgia estética o pode ajudar, física ou psicologicamente, indicar-lhe-á uma boa clínica e um cirurgião expe­riente e qualificado.

O que a cirurgia estética pode remediar

Existem principalmente cinco casos em que pode conseguir bons resultados:

  • A cirurgia pode frequentemente melhorar — mas não fazer desaparecer — uma cicatriz inestética. Na maioria, as cicatrizes profundas não desaparecem, mas podem ser retiradas e a pele à volta cosida com perfeição.
  • Os sinais e algumas marcas de nascença e de varíola podem ser removidos.
  • O excesso de pele pode ser retirado das faces, das pálpebras, dos seios, do abdómen, das coxas, das nádegas e das ancas.
  • Os seios pequenos podem ser aumentados inserindo uma prótese de silicone.
  • Os seios, o queixo e o abdómen podem ser reduzidos ou tornados mais simétricos.

cirurgia-estetica

O que a cirurgia estética não pode remediar

Apesar do que vulgarmente se julga, a cirurgia estética não pode conseguir que ninguém pareça mais novo do que realmente é. Mas pode impedir que pareça mais velho.

Pela simples modificação da aparência de uma pessoa, a cirurgia estética não pode fazer com que tenha mais sucesso — pessoal ou profissional — do que realmente tem. Por exemplo, um nariz «novo» não vai necessariamente garantir uma promoção nem salvar um casamento infeliz. Também não pode torná-la naquilo que ela não é ou em alguém que ela admira.

As marcas congénitas, como as manchas vinosas, não podem ser eliminadas, mas podem perfeitamente ser disfarçadas com cosméticos de boa qualidade.

Os riscos

Nas mãos de um especialista, é mínimo o número de operações mal sucedidas. No entanto, há sempre o risco de infecção ou de hemorragia. Há também um pequeno risco de a ferida abrir, de demorar a cicatrizar e de hematoma — o que pode prejudicar o resultado, por exemplo, dos face-liftings.


Adicionar Comentário