O que fazer quando se pretende ir para um lar de idosos

A escolha de um lar de idosos para si ou para um familiar depende não só da capacidade financeira de quem assume a responsabilidade pelo pagamento das mensalidades, como também das alternativas que se lhe oferecem na sua área de residência. Se optar por um lar-casa de repouso privado, procure nas Páginas Amarelas, sob o título «Lares e pensionatos», ou veja os anúncios nos jornais. Caso contrário, e se vive na cidade de Lisboa, dirija-se aos serviços sociais da sua junta de freguesia e exponha o caso. A assistente social encarregada da zona, depois de avaliada a sua situação, inscrevê-lo-á num lar ou instituição privada de solidariedade social (IPSS). A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa tem acordos com todas as IPSS, às quais concede apoio técnico e financeiro. Se reside fora de Lisboa, contacte o centro regional de segurança social em que está inscrito, a sua junta de freguesia ou a Misericórdia local.Existem ainda lares de idosos dirigidos por associações religiosas, de caridade e outras. Procure informar-se sobre as hipóteses existentes na sua área.

Como proceder antes de se mudar para um lar

Antes de se decidir definitivamente, quer tenha a possibilidade de optar, quer deva aceitar a hipótese oferecida, tente obter o maior número de informações possível sobre o lar ou casa de repouso onde passará a residir. Depois de tomada a decisão, especialmente se tiver vendido a sua casa e o recheio, é muito mais difícil voltar atrás. Visite o lar, de preferência acompanhado por familiares ou amigos, e percorra atentamente as instalações. Informe-se sobre a assistência médica ou de enfermagem prestada e, caso não exista, quais as medidas tomadas pela direcção para suprir essa falta em caso de necessidade.Prepare antecipadamente uma lista de questões e procure obter respostas para todas. Por exemplo:

  • Comida: É boa, má ou vulgar? Preparam dietas especiais?
  • Quartos: Terá de o partilhar com outra pessoa? Qual a situação prevista se não se der bem com o seu companheiro de quarto?
  • Entretenimentos: Há televisão? Quem é que escolhe os programas? Pode ter um rádio ou uma TV no seu quarto? Existe uma sala para leitura e para repouso? O lar dispõe de parque ou jardim?
  • Livros e jornais: O lar tem uma biblioteca ou será que a biblioteca pública local tem um serviço especial para o lar?

Outros pontos a ter em consideração são os seguintes: pode receber visitas? Pode levar consigo a sua poltrona favorita? Pode ficar com o seu animal de estimação, consultar o seu médico, controlar as suas finanças?

Direitos e garantias

Ninguém pode ser forçado a ir para um lar de idosos só porque é velho ou está doente. Mas se a pessoa em causa sofrer de grave perturbação mental ou represente um perigo para si própria ou para os que a rodeiam, a autoridade de saúde local pode obter uma ordem do tribunal para a internar. No entanto, as pessoas idosas, na maior parte, dão entrada nos lares por sua própria iniciativa ou seguindo os conselhos bem intencionados dos familiares. Procuram um ambiente caseiro e confortável, com pessoal auxiliar e de enfermagem especializado e cuidadoso. Na maioria dos casos, é o que acabam por encontrar.


Adicionar Comentário