Tratamento de Urgência para Estado de Choque

Algumas lesões podem causar o enfraquecimento geral da vítima — ou até a perda de consciência. Esta situação é conhecida por estado de choque, ou choque traumático.

O estado de choque segue-se muitas vezes a queimaduras ou hemorragias graves, fracturas, esmagamento, vómitos ou diarreia, uma queda ou uma má notícia. Os efeitos podem ser imediatos ou manifestar-se nas 24 horas seguintes.

Sinais de alarme

O estado de choque é acompanhado de diversos sintomas:

  • Pele pálida ou cor de cinza, fria e húmida ao tacto.

  • Numa fase inicial, ansiedade e agitação. Mais tarde, a vítima pode ficar apática e, finalmente, inconsciente.

  • Pulso fraco, rápido ou irregular.

  • Tremuras e transpiração.

  • Estado de fraqueza, tonturas ou desmaios; visão desfocada; náuseas, vómitos, arrepios de frio e sede.

O que deve fazer

Peça assistência médica ou uma ambulância logo que o possa fazer sem deixar a vítima. O estado de choque requer assistência rápida e a sua gravidade nem sempre é aparente.

Entretanto, actue da seguinte maneira:

  • Deite a vítima de costas, com a cabeça baixa e, se possível — a não ser que suspeite da existência de um ferimento na cabeça ou uma hemorragia cerebral —, com as pernas levantadas cerca de 20 cm. Coloque-as sobre uma almofada ou um casaco dobrado para que se restabeleça a circulação sanguínea no cérebro.

  • Preste os primeiros socorros necessários :

    • Conforte e acalme a vítima.

    • Desaperte-lhe a roupa no pescoço, peito e cintura, se lhe impedir a respiração ou a circulação.

    • Cubra a vítima com um casaco ou um cobertor.

    • Não a aqueça com um saco de água quente. O calor artificial provocaria um maior afluxo de sangue à pele, o que diminuiria a irrigação dos órgãos vitais.

    • Se a vítima tiver sede, humedeça-lhe os lábios com água.

    • Não lhe dè nada a comer ou a beber, pois isso poderá atrasar a administração de uma anestesia no hospital.

    • Não mova a vítima sem ser necessário.

    • Não a deixe fumar.

    • Se a vítima começar a ter dificuldades respiratórias e estiver prestes a vomitar ou a perder os sentidos, coloque-a na posição lateral de segurança.

    • Se ela deixar de respirar, administre-lhe imediatamente respiração artificial.

Choque anafiláctico

Algumas pessoas reagem de forma intensa às picadas de vespa ou abelha. Ao fim de alguns minutos, surge-lhes urticária por toda a pele; o rosto e os lábios podem inchar desmesuradamente e verifica-se uma descida acentuada da tensão arterial, o que provoca um aumento do ritmo cardíaco e pode causar desmaio. A vítima pode ficar com falta de ar, como num forte ataque de asma. Peça imediatamente assistência médica.


Adicionar Comentário