Planta Medicinal PSYLLIUM

NOME BOTÂNICO PSYLLIUM: Plantago psyllium L.

PARTE PSYLLIUM UTILIZADA: Semente As mucilagens presente no psyllium absorvem água; seus efeitos ultrapassam o âmbito intestinal, retarda o esvaziamento gástrico e
absorção de glicose a partir do intestino delgado.

Devido a sua indigestibilidade, as fibras alcançam o cólon inalteradas, causando aumento no
volume de conteúdos colônicos com activação da motilidade e normaliza o tempo de
trânsito intestinal.

Reduz a necessidade de esforço para evacuação, útil em casos de hemorróidas.
Em estudos realizados demonstrou possuir a propriedade de reduzir o colesterol
sérico total, reduzindo o LDL – colesterol e aumentando o HDL – colesterol.

Se ingerido antes das refeições forma uma gelatina ocupando o espaço no estômago e
reduzindo assim a quantidade a ser ingerido de alimento.

Através de dados convincentes sobre as fibras, o Instituto Nacional do
Câncer recomenda uma dieta rica em fibras e pobre em gordura para ajudar a
prevenir alguns tipos de câncer. Alguns pesquisadores afirmam que reduzindo o
tempo de permanência do alimento no intestino, diminui-se o risco de câncer de
cólon e reto. Pois alguns alimentos contém substâncias carcinógenas.

As fibras de psyllium podem associar-se ao colesterol no intestino,
eliminando-o. Quando colocados em dietas com alto teor de fibras, os diabéticos
que usam insulina precisaram de menores quantidades de insulina.

Alguns relatórios confirmam esse fenômeno. As fibras parecem desacelerar a
absorção de carboidratos e diminuir os níveis de açúcar no sangue que ocorre
após as refeições. Os dados disponíveis que sustentam o papel das fibras
solúveis no tratamento do diabete são suficiente para a Associação Nacional de
Diabetes dos Estados Unidos, Canadá, Grã-Bretanha e Austrália endossarem dietas
com alto teor de fibras no controle deste mal.

Pode ocorrer a formação de gases, mas este sintomas desaparece após algumas
semanas. Pode ser usado na constipação da gravidez.

Deve-se elevar o consumo de líquidos durante o uso de psyllium.

É recomendado um intervalo de 1 a 2 horas entre a ingestão de fibras e
medicamentos. Pode ocorrer um efeito laxante quando utilizado com outros
produtos ricos em fibras ou pectina.

 

MODO DE USAR PSYLLIUM

Adulto: -10 a 20 g ao dia às principais refeições.

Crianças: até 12 anos utiliza-se a metade da dose.

As fibras de psyllium podem ser adicionados a um copo de água, suco de frutas,
a sopas, massas de pães, bolos e iogurte.

Quando usado 20 minutos antes das refeições, reduz a quantidade de alimento a
ser ingerida.

Se misturar a líquidos ingerir imediatamente.

Diabéticos sob o uso de insulina deve ter acompanhamento médico, pois o ajuste
pode ser difícil.

 

404px-plantago_ovata_form

 


5 comentários

  1. Patricia Esteves 13 de Dezembro de 2010
  2. Marta Hernandes 28 de Dezembro de 2010
  3. Shirley Teodoro 24 de Maio de 2011
  4. Cristina Licurgo 21 de Abril de 2013
  5. Domingos Bau 4 de Junho de 2014

Adicionar Comentário