Massagem Cardíaca Externa; uma técnica que pode salvar a vida

ATENÇÃO:

Esta técnica só pode ser efectuada quando o coração tenha deixado de bater (paragem cardíaca). Deve ser aprendida com um instrutor de primeiros socorros devidamente habilitado e só deve ser aplicada por quem tenha a prática necessária. Se for indevidamente utilizada, pode, inclusive, ser mortal.

A compressão torácica de uma vítima com paragem cardíaca pode, em conjugação com a respiração artificial, salvar-lhe a vida. A técnica consiste em comprimir o coração entre o esterno e a coluna vertebral, levando-o a bombear o sangue para as diferentes partes do corpo. O restabelecimento do fluxo de sangue para o cérebro pode levar a que o coração recomece a bater.

O coração parou?

Depois de insuflar ar (e, assim, o oxigénio nele existente) por duas vezes nos pulmões da vítima através da respiração artificial, controla-se a existência de batimentos cardíacos pela palpação das artérias carótidas. Se não se palparem batimentos cardíacos, retoma-se imediatamente a massagem (compressão) cardíaca externa.

Descrição da técnica

Com os membros superiores em completa extensão, coloca-se a porção posterior da palma de uma das mãos cerca de uns dois dedos acima da base do esterno, pondo-se a outra mão exactamente do mesmo modo sobre a primeira e mantendo sempre os dedos levantados para cima, de forma que estes não exerçam qualquer pressão adicional sobre as costelas; assim, a pressão (ou compressão) exercer-se-á apenas sobre o esterno.

Esta compressão, de cerca de uns 4 cm de amplitude, deve ser executada ritmicamente e com a frequência dos batimentos cardíacos — 80 pulsações por minuto. Após cada 15 compressões, insufla-se duas vezes consecutivas os pulmões da vítima por meio da respiração artificial, repetindo-se sucessivamente esta sequência. Verifica-se o resultado através do aparecimento espontâneo dos batimentos cardíacos, pela palpação das artérias carótidas ao fim de 1 minuto e, subsequentemente, de 3 em 3 minutos.

Se os batimentos cardíacos espontâneos (isto é, não dependentes da compressão torácica) recomeçarem, logo que detectados pela palpação das artérias carótidas suspende-se a massagem cardíaca, mas continua-se a respiração artificial até a vítima respirar por si própria. Deve verificar-se sistematicamente a existência de batimentos cardíacos pela palpação das artérias carótidas e recomeçar-se com a massagem cardíaca logo que não se palparem batimentos ou pulsações cardíacos.

Crianças e bebés

Quando a vítima for uma criança com menos de 10 anos, usa-se apenas uma das mãos para executar a massagem cardíaca externa.

No caso de se tratar de um bebé, segura-se amparando num braço e com a cabeça na palma da mão e ligeiramente inclinada para trás . Esta posição permite também a respiração boca-a-boca ou boca-nariz. Usa-se apenas a ponta de dois dedos para fazer as cerca de 100 compressões por minuto e insufla-se ar nos pulmões por duas vezes em cada 15 compressões.


One Response

  1. cecília Santana 16 de Outubro de 2010

Adicionar Comentário