Floxapen Flucloxacilina caracteristicas medicamento

Resumo das Características do Medicamento

 

1.DENOMINAÇÃO DO MEDICAMENTO

Floxapen 500 mg Cápsulas

2.COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Flucloxacilina sódica equivalente a 500 mg de flucloxacilina.
Excipientes: Lista completa de excipientes, ver secção 6.1.

3.FORMA FARMACÊUTICA

Cápsulas

4.INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1. Indicações terapêuticas

A flucloxacilina está indicada no tratamento de infecções nos seguintes locais, quandocausadas por organismos sensíveis, particularmente Streptococcus e Staphylococcus
(ver 5.1 Propriedades farmacodinâmicas para mais informação):

Infecções da pele, por ex.: furunculose, carbúnculo, abcesso, impetigo
Tecidos moles subcutâneos, por ex.: celulite, linfagite
Feridas traumáticas, cirúrgicas e de queimaduras
Ossos, por ex.: artrite, osteíte, osteomielite
Ouvido externo, por ex.: otite externa
Infecções do tracto respiratório inferior, por ex.: abcesso pulmonar, pneumonia,broncopneumonia
Infecções do tracto respiratório superior, por ex.: amigdalite, sinusite, faringite
Empiema (como parte do regime combinado) (em conjugação com drenagem)
Meningite, por ex.: meningite estafilocócica
Tracto urinário e genital
Intestino delgado e cólon.

No tratamento de infecções graves como por exemplo endocardite e septicémia,particularmente septicémia estafilocócica, recomenda-se a utilização de flucloxacilinapor via parentérica. A flucloxacilina está indicada para profilaxia na cirurgiacardiovascular (próteses valvulares e próteses arteriais) e cirurgia ortopédica

(artroplastia, osteossíntese e artrotomia) pelo potencial patogénico dominante dosestafilococos durante estes procedimentos cirúrgicos.
A flucloxacilina é eficaz para o tratamento de infecções devidas a Streptococcus Abeta-hemolíticos tal como úlcera na garganta e erisipela, bem como queimadurasinfectadas, contudo a penicilina (G ou V) é o tratamento de primeira escolha.
A flucloxacilina não está indicada para prevenção de febre reumática.

4.2. Posologia e modo de administração

A dose depende da idade, peso e função renal do doente, bem como da gravidade dainfecção.

Modo de administração:
Administração por via oral (a terapêutica parentérica é indicada se a via oral forconsiderada impraticável ou desadequada, tal como no caso de diarreia severa ouvómitos, e em particular no tratamento urgente de infecções graves). Recomenda-se umtratamento de pelo menos de 10 dias para qualquer infecção causada por estreptococosbeta-hemolítico.

Floxapen cápsulas deve ser administrado uma hora antes das refeições.

Adultos e crianças com mais de 12 anos
A dose recomendada é de 500 mg de 8/8 horas. No entanto, em caso de necessidade,podem administrar-se até 3 g/dia, fraccionados em três ou quatro tomas.

Crianças com menos de 12 anos
A dose média recomendada é de 50 mg/kg/dia fraccionados em três tomas,administradas de 8 em 8 horas.
Recomenda-se a utilização de Floxapen pó para suspensão oral em crianças com menosde 12 anos ou com peso inferior a 30 kg.

Idosos
Não é necessário ajuste de dose; tal como para os adultos, só será necessário no caso deinsuficiência renal (ver insuficiência renal).

Insuficiência renal
A excreção de Floxapen está diminuida nos casos de insuficiência renal. Nos doentescom depuração da creatinina < 10 ml/min a dose recomendada é de 1g de 8 em 8 ou de
12 em 12 horas. (Em doentes anúricos, a dose máxima é de 1 g de 12 em 12 horas).
Os níveis séricos de flucloxacilina não são diminuídos por hemodiálise, nem por diáliseperitoneal. Deste modo, a diálise não necessita de ser acompanhada por uma doseadicional.

4.3. Contra-indicações

Hipersensibilidade à substância activa ou a qualquer um dos excipientes.hipersensibilidade a antibióticos beta-lactâmicos (penicilinas, cefalosporinas) .
FLOXAPEN está contra-indicado em doentes com história prévia de icterícia oudisfunção hepática associada à flucloxacilina.

4.4. Advertências e precauções especiais de utilização

Antes de se iniciar a terapêutica com Floxapen, deverá ser cuidadosamente investigadaa ocorrência prévia de reacções de hipersensibilidade a beta-lactâmicos. Estãodocumentados casos de sensibilidade cruzada entre penicilinas e cefalosporinas.

Foram relatados casos de reacções de hipersensibilidade graves ou ocasionalmentefatais (anafilaxia) em doentes tratados com antibióticos beta-lactâmicos. Embora aanafilaxia seja mais frequente após a terapêutica por via parentérica, ocorreu tambémem doentes com terapêutica oral. Estas reacções são mais prováveis de ocorrerem emindivíduos com história de hipersensibilidade aos beta-lactâmicos. Se ocorrer umareacção alérgica, a administração de Floxapen deve ser interrompida e instituida aterapêutica apropriada. Reacções anafilactóides graves necessitam de um tratamentoimediato de emergência com adrenalina. Pode ser também necessário oxigénio,esteróides intravenosos, ventilação assistida, incluindo intubação.

Floxapen deve ser utilizado com precaução em doentes com evidência de insuficiênciahepática, em doentes acima dos 50 anos de idade e doentes com doença gravesubjacente. Nestes doentes os problemas hepáticos podem ser graves, e em situaçõesmuito raras, foram relatados casos fatais (Ver 4.8 Efeitos indesejáveis).

A flucloxacilina tem sido associada a ataques agudos de porfíria, não sendo consideradasegura em doentes que sofram de porfíria.

É essencial uma precaução especial nos recém-nascidos, devido ao risco dehiperbilirrubinémia. Estudos demonstraram que, em doses elevadas após administraçãoparentérica, Floxapen pode deslocar a bilirrubina da sua ligação às proteínasplasmáticas, podendo desta forma predispor para uma situação de icterícia nuclear numbebé com icterícia. Adicionalmente, é essencial um cuidado especial nos recém-
nascidos devido ao potencial para concentrações séricas elevadas de Floxapen, queresultam de uma velocidade de excreção renal reduzida.

No caso de tratamentos prolongados (por ex. osteomielite, endocardite), recomenda-seuma monitorização regular das funções hepática e renal.

A utilização prolongada pode ocasionalmente resultar num sobrecrescimento deorganismos não susceptíveis.

Conteúdo em sódio: O sal sódico de Floxapen contém sódio. Este facto deve serconsiderado nas situações em que os doentes estão sujeitos a dietas restritas em sódio.
Nos doentes com insuficiência renal é necessário ajustar a posologia (ver 4.2 Posologiae modo de administração).

4.5. Interacções medicamentosas e outras formas de interacção

Medicamentos bacteriostáticos podem interferir com a acção bactericida de Floxapen.
O probenecide diminui a secreção tubular renal de Floxapen. A administraçãoconcomitante de probenecide atrasa a excreção renal de Floxapen.

Tal como outros antibióticos, Floxapen pode alterar a flora intestinal, levando a umadiminuição da reabsorção dos estrogénios, reduzindo a eficácia da associação decontraceptivos orais.

4.6. Gravidez e aleitamento

Gravidez:
A utilização de penicilinas na gravidez é geralmente considerada segura. Estudos emanimais com flucloxacilina demonstraram a não existência de efeitos teratogénicos. Ainformação disponível sobre a utilização de flucloxacilina na gravidez humana élimitada. Floxapen só deve ser utilizado durante a gravidez se os potenciais benefíciosse sobrepuserem aos possíveis riscos associados ao tratamento.

Aleitamento:
A flucloxacilina é eliminada em quantidades vestigiais no leite materno.
Floxapen pode ser administrado durante o período de lactação. Com excepção do riscode sensibilização, não existem efeitos nocivos para o lactente.

4.7. Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

Não foram observados efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas.

4.8. Efeitos Indesejáveis

A seguinte convenção tem sido utilizada na classificação de efeitos indesejáveis: muitofrequentes (>1/10), frequentes (>1/100, <1/10), pouco frequentes (>1/1000, <1/100),raros (>1/10,000 <1/1000) e muito raros (<1/10,000).

A menos que haja informação em contrário, a frequência de ocorrência dos efeitosadversos resulta da informação proveniente de relatórios de Farmacovigilância de pós-
comercialização ao longo de mais de 30 anos.

Doenças do sangue e do sistema linfático

Muito raros: Neutropenia (incluindo agranulocitose) e trombocitopenia. Estes efeitossão reversíveis quando o tratamento é descontinuado. Eosinofilia. Anemia hemolítica.

Doenças do sistema imunitário
Muito raros: Choque anafiláctico (ver 4.4 Advertências e precauções especiais deutilização), edema angioneurótico.
Se ocorrer alguma reacção de hipersensibilidade, o tratamento deve ser descontinuado
(ver também Afecções dos tecidos cutâneos e subcutâneas).

Doenças gastrintestinais
*Frequentes: Distúrbios gastrintestinais ligeiros.
Muito raros: Colite pseudomembranosa.
Se se desenvolver colite pseudomembranosa, o tratamento com Floxapen deve serinterrompido e deve ser iniciada uma terapêutica apropriada, por exemplo, vancomicinaoral.

Afecções hepatobiliares
Muito raros: Hepatite e icterícia colestática (ver 4.4 Advertências e precauçõesespeciais de utilização). Alteração dos valores dos testes de função hepática (reversívelquando o tratamento é interrompido).
A hepatite e a icterícia colestática podem persistir para além de 2 meses após afinalização do tratamento. Em alguns casos a sua resolução tem sido demorada,prolongando-se por vários meses. Os problemas hepáticos podem ser graves, e emsituações muito raras, foram relatados casos fatais, tendo a sua maioria ocorrido emdoentes acima dos 50 anos de idade e em doentes com doenças graves subjacentes.

Afecções dos tecidos cutâneos e subcutâneas
*Não frequentes: Rash, urticária e púrpura.
Muito raros: Eritema multiforme, síndrome de Stevens-Johnson e necrólise epidérmicatóxica.
(ver também Doenças do sistema imunitário).

Afecções músculosqueléticas e dos tecidos conjuntivos
Muito raros: Por vezes, reacções de artralgia e mialgia desenvolvem-se mais de 48horas após o início do tratamento.

Doenças renais e urinárias.
Muito raros: Nefrite intersticial.
Este efeito é reversível quando o tratamento é interrompido.

Perturbações gerais e alterações no local de administração
Muito raros: Febre, após 48h do início do tratamento.

* A incidência destes efeitos adversos resulta de informação de estudos clínicosenvolvendo um total de aproximadamente 929 doentes adultos e crianças sujeitos aterapêutica com Floxapen.

4.9. Sobredosagem

Podem observar-se efeitos gastrintestinais tais como náuseas, vómitos e diarreia,devendo ser instituida terapêutica sintomática.

Flucloxacilina não é eliminada da circulação sanguínea por hemodiálise.

5.PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

5.1.Propriedades farmacodinâmicas

Grupo farmacoterapêutico: 1.1.1.3 – Medicamentos anti-infecciosos. Antibacterianos.
Penicilinas. Isoxazolilpenicilinas.
Código ATC: J01 CF05
Floxapen é um antibiótico de estreito espectro do grupo das isoxazolilpenicilinas; não éinactivado pelas beta-lactamases estafilocócicas.

Mecanismo de acção
A flucloxacilina, ao actuar na síntese da parede bacteriana, exerce uma acçãobactericida contra os estreptococos, estafilococos, incluindo estirpes produtoras de ?-
lactamases, Clostridium e Neisseria. Não é activo contra estafilococos meticilina-
resistentes.

Efeitos farmacodinâmicos
In vitro, as seguintes espécies são geralmente sensíveis à acção bactericida deflucloxacilina (as concentrações inibitórias mínimas (MIC) de flucloxacilina sãoreferidas de seguida):

Microrganismo MIC
(mg/l)
Staphylococcus aureus
0,1-0,25
Staphylococcus aureus (?-lactamase +)
0,25-0,5
Streptococcus pneumoniae
0,25
Streptococcus pyogenes (?-hemolítico grupo A)*
0,1
Streptococcus grupo viridans
0,5
Clostridium tetani
0,25
Clostridium welchii
0,25
Neisseria meningitidis
0,1
Neisseria gonorrhoeae
0,1
Neisseria gonorrhoeae (?-lactamase +)
2,5

*Os Streptococcus beta-hemolíticos do Grupo A são menos sensíveis às penicilinasisoxazólicas do que às penicilinas G ou V.

5.2. Propriedades farmacocinéticas

Absorção
Flucloxacilina é estável em meio ácido podendo deste modo ser administrado por viaoral ou parentérica. As concentrações plasmáticas máximas de flucloxacilina obtidascerca de uma hora depois são as seguintes:
Depois da administração de uma dose de 250 mg por via oral (em indivíduos emjejum): aproximadamente 8,8 mg/l.
Depois da administração de uma dose de 500 mg por via oral (em indivíduos emjejum): aproximadamente 14,5 mg/l.
Depois da administração de uma dose por via i.m. de 500 mg: aproximadamente 16,5mg/l.

A quantidade total absorvida por via oral representa aproximadamente 79% daquantidade administrada.

Distribuição
95% de flucloxacilina está ligada às proteínas plasmáticas.
Flucloxacilina distribui-se facilmente por todos os tecidos. Mais especificamente, foramdetectadas concentrações activas de flucloxacilina nos ossos: 11,6 mg/l (osso compacto)e 15,6 mg/l (osso esponjoso), com uma concentração sérica média de 8,9 mg/l.
Ao atravessar as meninges, flucloxacilina difunde-se em apenas pequena quantidadepara o fluído cerebrospinal em indivíduos cujas meninges não estão inflamadas.
Flucloxacilina é excretada em pequena quantidade no leite materno.

Metabolismo
Em indivíduos normais, aproximadamente 10% de flucloxacilina administrada émetabolizada a ácido penicilóico. O tempo de semi-vida de eliminação é cerca de 53minutos.

Eliminação
A excreção ocorre principalmente por via renal. Entre 65,5% (via oral) a 76,1% (viaparentérica) da dose administrada é excretada na urina na forma inalterada em 8 horas.
Uma pequena parte da dose administrada é excretada na bílis. A excreção deflucloxacilina é mais lenta nos casos de insuficiência renal.

5.3. Dados de segurança pré-clínica

Os dados pré-clínicos não revelam riscos especiais para o ser humano, segundo estudosconvencionais de farmacologia de segurança, toxicidade de dose repetida e toxicidadereprodutiva. Foram realizados estudos de genotoxicidade com flucloxacilina, mas não

se verificaram alterações nos estudos de reprodução ou de toxicidade de dose repetidaindicativos de toxicidade genética.

Não foram realizados estudos do potencial carcinogénico com flucloxacilina uma vezque esta se destina a tratamento de curta duração.

6.INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1. Lista dos excipientes

Estearato de magnésio

6.2. Incompatibilidades

Não aplicável

6.3. Prazo de validade

3 anos.

6.4. Precauções especiais de conservação

Não conservar acima de 25ºC. Manter na embalagem de origem para proteger dahumidade.

6.5. Natureza e conteúdo do recipiente

Embalagens de 16 e 24 cápsulas, acondicionadas em blister de PVC e alumínio,inseridas em caixas de cartão.

6.6.Precauções especiais de eliminação e manuseamento

Não existem requisitos especiais

7.TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Actavis Group PTC ehf.
Reykjavíkurvegi, 76-78
IS-220 Hafnarfjörour
Islândia

8.NÚMEROS DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

Número de registo: 8378703 16 cápsulas, 500 mg, blister de PVC/Alu

Número de registo: 466688 24 cápsulas, 500 mg, blister de PVC/Alu

9.DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAÇÃO/ RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO DE
INTRODUÇÃO NO MERCADO

Data da autorização de introdução no mercado: 16 Novembro 1973.
Data de revisão: 16 Março 2000
Data da última renovação: 16 Março 2005


Adicionar Comentário