Enxaqueca, como minorar os efeitos deste tipo de cefaleia

Aproximadamente 5 em cada 100 pessoas sofrem de enxaqueca, um tipo de cefaleia recorrente que se manifesta numa das seguintes duas formas: enxaqueca comum, em que só ocorre dor de cabeça, e enxaqueca clássica, na qual a dor de cabeça é acompanhada de vários sintomas.

Enxaqueca clássica começa muitas vezes após o despertar. O primeiro sintoma é em geral uma perturbação da visão, tal como pontos brilhantes ou linhas ziguezagueantes, visíveis com ambos os olhos. O paciente pode ter uma sensação de dormência ou de formigueiro no rosto, numa das mãos ou numa perna. Há casos em que se verifica uma ligeira dificuldade em falar, e os sintomas poderão alastrar de uma parte do corpo para outra em poucos minutos.

Após algum tempo, estes sintomas desaparecem e segue-se-lhes uma dor de cabeça intensa e latejante, acompanhada em alguns casos de náuseas e vómitos. Uma enxaqueca pode durar de algumas horas a vários dias, e os ataques ocorrem duas ou três vezes por semana ou muito mais espaçadamente.

Os sintomas iniciais são causados por espasmos das artérias que seguem para um dos lados da cabeça. As dores surgem quando esses vasos se dilatam de novo, permitindo a passagem de um fluxo sanguíneo mais abundante. Embora a causa exacta da contracção e dilatação dos vasos seja ainda objecto de Investigações, é um facto que a enxaqueca é mais comum em pessoas enérgicas e activas e pode ser provocada por excesso de trabalho ou tensão emocional. Contudo, tende a ocorrer depois de o período de tensão ter terminado — durante os fins-de-semana ou nas ferias, por exemplo.

Os ataques podem também ser provocados pela ingestão de bebidas alcoólicas e de certos alimentos, como queijo, chocolate e citrinos.

Qualquer dor de cabeça intensa e que surja periodicamente deve ser levada ao conhecimento do seu médico. Se for diagnosticada uma enxaqueca e os ataques forem graves e frequentes, ele pode receitar medicamentos especiais, alguns dos quais evitam as crises se tomados regularmente, enquanto outros devem ser tomados no momento em que se anuncie um ataque.

Durante um ataque de enxaqueca, o paciente deve repousar num quarto às escuras. Se o ataque for prolongado, só deve comer alimentos leves e fáceis de digerir, a fim de diminuir o risco de vómitos. As mulheres são mais atreitas a enxaquecas do que os homens; nos casos em que os ataques estejam relacionados com o uso da pílula contraceptiva, deverá adoptar-se uma forma alternativa de contracepção. De qualquer modo, os ataques tendem a tornar-se menos frequentes e fortes com o passar dos anos. Nas mulheres, as enxaquecas cessam muitas vezes completamente com a menopausa.

enxaqueca


Adicionar Comentário