Danatrol Danazol caracteristicas medicamento

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

1. DENOMINAÇÃO DO MEDICAMENTO

Danatrol cápsulas 200 mg

2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Cada cápsula contém 200 mg de Danazol.
Danatrol contém 76,6 mg de lactose mono-hidratada.

3. FORMA FARMACÊUTICA

Cápsula

4. INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1 ? INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS

– Endometriose: tratamento dos sintomas associados à endometriose e/ou para reduzir a extensão do focoendometriótico. O danazol pode ser utilizado conjuntamente com cirurgia ou como monoterapia hormonal,em doentes que não respondem a outros tratamentos.

– Doença fibroquística benigna da mama: alívio sintomático da dor intensa e da hipersensibilidademamária. O danazol deve apenas ser utilizado em doentes que não respondem a outras medidas terapêuticasou para os quais essas medidas não são aconselháveis

– Angioedema hereditário.

POSOLOGIA E MODO DE ADMINISTRAÇÃO

O Danatrol destina-se apenas à administração oral.

Adultos: O Danatrol deve ser administrado em ciclo contínuo e a posologia deve ser ajustada de acordocom a gravidade da situação e resposta do doente. Uma vez obtida resposta satisfatória por parte do doentepode reduzir-se a dose. Nas mulheres em idade fértil, o Danatrol deve ser iniciado durante o ciclomenstrual, para evitar expor uma gravidez aos seus possíveis efeitos, pelo que deverá ser associado ummétodo anticoncepcional não hormonal durante o tratamento (ver 4.4. Advertências e precauções especiaisde utilização).

Endometriose: a dose recomendada é de 200-800 mg por dia. O ciclo de tratamento dura normalmente 3 a
6 meses.
Doença fibroquística benigna da mama: a posologia normal é de 100-400 mg por dia. O ciclo de tratamentodura normalmente 3 a 6 meses.

Angioedema hereditário: a dose inicial é de 200 mg, 2 ou 3 vezes por dia. Após resposta favorável por partedo doente, deve procurar-se a dose de manutenção eficaz mais baixa para um tratamento preventivocontínuo.

Idosos: Não se recomenda a utilização de Danatrol.

Crianças: Não se recomenda a utilização de Danatrol.

4.3. CONTRA-INDICAÇÕES

– Hipersensibilidade à(s) substância(s) activa(s) ou a qualquer um dos excipientes
– Gravidez
– Aleitamento
– Insuficiência hepática, renal ou cardíaca graves
– Porfiria
– Tumores androgeno-dependentes
– Hemorragia genital anormal não diagnosticada
– Trombose activa ou doença tromboembólica e antecedentes das mesmas.

4.4. ADVERTÊNCIAS E PRECAUÇÕES ESPECIAIS DE UTILIZAÇÃO

O Danatrol deve ser interrompido se surgirem efeitos adversos clinicamente significativos, eparticularmente se existir evidência de:

– Virilização (a não interrupção do tratamento pode provocar um aumento do risco de efeitos androgénicosirreversíveis)
– Edema da papila, cefaleias, perturbações visuais ou outros sinais ou sintomas de aumento da pressãointracraneana
– Icterícia ou outra indicação de alteração hepática significativa
– Trombose ou tromboembolismo

Se for necessário repetir o ciclo terapêutico, devem ser tomadas precauções, dado que não existem dados desegurança disponíveis relativamente a ciclos de tratamento repetidos ao longo do tempo. O risco deexposição a longo prazo a esteróides 17-alquilados, incluindo adenoma hepático benigno, peliose hepática ecarcinoma hepático, devem ser considerados quando o Danatrol, que está quimicamente relacionado comestes compostos, é utilizado.

Foram analisados dados de dois estudos epidemiológicos de caso-controlo, de forma a examinar a relaçãoentre endometriose, tratamentos para a endometriose e cancro do ovário. Estes resultados preliminaressugerem que o uso de danazol pode aumentar o risco de cancro do ovário em doentes tratados para aendometriose.

 Com base na sua farmacologia, interacções conhecidas e efeitos adversos, o uso do danazol deve revestir-sede especial cuidado em doentes com:
– Doença renal ou hepática
– Hipertensão ou outra doença cardiovascular
– Qualquer situação clínica que possa ser exacerbada pela retenção de fluídos
– Diabetes mellitus
– Policitémia
– Epilepsia
– Alterações lipoproteicas
-Antecedentes de reacção androgénica marcada ou persistente com prévia terapêutica esteróide gonadal
– Enxaqueca

Aconselha-se a monitorização clínica de todos os doentes.
Para tratamentos prolongados (> 6 meses) ou ciclos repetidos de tratamento, recomenda-se umaultrasonografia hepática bianual.
A monitorização laboratorial deve também ser considerada, incluindo determinação periódica da funçãohepática e estado hematológico.

Antes do início do tratamento, deve estar excluída a existência de carcinoma hormono-dependente, pelomenos através de exame clínico cuidadoso, assim como se os nódulos mamários persistirem ouaumentarem durante o tratamento com o danatrol.

O Danatrol deve ser iniciado durante a menstruação. Deve ser utilizado um método de contracepção nãohormonal eficaz (consultar 4.6. Gravidez e aleitamento).

Deve ser mantida a dose eficaz mais baixa de Danatrol.

Danatrol contém lactose; doentes com problemas hereditários raros de intolerância à galactose, deficiênciade lactase ou malabsorção de glucose-galactose não devem tomar este medicamento.

INTERACÇÕES MEDICAMENTOSAS E OUTRAS FORMAS DE ITERACÇÃO

– Fármacos anti-convulsivantes : o danazol pode aumentar os níveis plasmáticos da carbamazepina,podendo afectar a resposta a este fármaco bem como à fenitoína. É provável uma interacção semelhantecom o fenobarbital.
– Fármacos antidiabéticos : o danazol pode provocar resistência à insulina.
– Anticoagulantes orais : o danazol pode potenciar a acção da Warfarina.
– Fármacos antihipertensores : o Danatrol pode diminuir a eficácia dos agentes antihipertensores.
– Ciclosporina e tacrolimus : o Danatrol pode aumentar o nível plasmático da ciclosporina e tacrolimus,conduzindo a um aumento da toxicidade renal destes fármacos.
– Esteróides concomitantes: é possível que ocorram interacções entre o Danatrol e a terapêutica comesteróides gonadais.
– Interacções com outros fármacos : o Danatrol pode aumentar a resposta calcémica ao ?-calcidol nohipoparatiroidismo primário.
– Interacções com testes laboratoriais: o tratamento com Danatrol pode interferir com a determinaçãolaboratorial da testosterona ou proteínas plasmáticas (ver 4.8. Efeitos Indesejáveis).

GRAVIDEZ E ALEITAMENTO

Gravidez: uma vez que o Danatrol está contra-indicado na gravidez devido ao risco de virilização do fetofeminino, devem tomar-se as devidas precauções em mulheres em idade fértil para excluir a possibilidadede uma gravidez antes de se começar o tratamento. O Danatrol deve ser iniciado durante o ciclo menstrual.
Deve ser utilizado um método anticoncepcional não hormonal eficaz. Se uma doente engravidar durante otratamento, este deve ser suspenso.

Aleitamento: teoricamente o Danatrol tem a capacidade de provocar efeitos androgénicos em crianças emfase de amamentação; por isso, o tratamento com Danatrol ou a amamentação devem ser interrompidos.

4.7. EFEITOS SOBRE A CAPACIDADE DE CONDUÇÃO DE VEÍCULOS E UTILIZAÇÃO DE
MÁQUINAS

O Danatrol não afecta a capacidade de condução ou de utilização de máquinas.

EFEITOS INDESEJÁVEIS

Os efeitos androgénicos incluem:
Comuns
Acne, aumento de peso, aumento de apetite, seborreia, hirsutismo, alopécia, alterações na voz.
Raros
Hipertrofia do clítoris, retenção de fluídos.

Outros efeitos endócrinos:
Comuns
Perturbação do ciclo menstrual, hemorragia intermenstrual, amenorreia, afrontamentos, secura e irritaçãovaginais, alterações da líbido.

Pouco comuns
Redução do volume dos seios.
Muito raros
Redução da espermatogénese.

Os efeitos metabólicos incluem:
Aumento da resistência à insulina, elevação do glucagon plasmático e tolerância anormal à glicose. Foireferido aumento no colesterol LDL, decréscimo no colesterol HDL afectando todas as subfracções e umdecréscimo nas apolipoproteínas AI e AII. Outros efeitos metabólicos incluem a indução da sintetase do
ácido aminolevulínico (ALA) e redução da globulina de ligação à tiróide e da T4 com aumento da captaçãode T3, mas sem perturbação da hormona estimulante da tiróide ou da taxa de tiroxina livre.

Os efeitos dermatológicos incluem:
Comuns
?Rash? maculopapular, petequial ou purpúrico podendo ser acompanhado por febre. Foram tambémrelatados edema facial e fotossensibilidade.
Pouco comuns
Urticária
Muito raros
Nódulos eritematosos inflamatórios, alteração da pigmentação cutânea, dermatite esfoliativa e eritemamultiforme.

Os efeitos músculo-esqueléticos incluem:
Comuns
Dorso-lombalgias, cãibras, por vezes com elevação dos níveis da creatinina fosfoquinase, tremoresmusculares, fasciculação, dores nos membros, dores e edema das articulações.

Os efeitos cardiovasculares incluem:
Raros
Hipertensão, palpitação e taquicárdia.
Os efeitos trombóticos que foram observados incluem trombose do seio sagital, cerebrovascular bem comotrombose arterial.
Foram relatados casos de enfarte do miocárdio.

Os efeitos oftalmológicos incluem:
Raros
Perturbações visuais tais como visão turva, dificuldade em focar, dificuldade em utilizar lentes de contactoe distúrbios da refracção que requerem correcção.

Os efeitos no sistema nervoso central incluem:
Comuns
Labilidade emocional, ansiedade, comportamento depressivo, nervosismo e cefaleias.

Raros
Tonturas, vertigens, hipertensão intracreaneana benigna.
Muito raros
Agravamento da epilepsia, enxaquecas.

Os efeitos hematológicos incluem:
Raros
Aumento das plaquetas e glóbulos vermelhos, policitémia, leucopénia e trombocitopénia.
Muito raros
Eosinofilia, peliose esplénica.

Os efeitos hepato-pancreáticos incluem:
Pouco comuns
Aumentos isolados dos níveis séricos das transaminases.
Raros
Icterícia colestática, adenoma hepático benigno, pancreatite.
Muito raros
Tumor hepático maligno e peliose hepática observados com tratamentos prolongados.

Outros efeitos incluem:
Comuns
Náuseas.
Raros
Fadiga.
Muito raros
Hematúria com utilização prolongada do fármaco no tratamento de angiodema hereditário, doresepigástricas e pleuríticas, síndrome do túnel do carpo, pneumonite intersticial.

SOBREDOSAGEM

Os dados disponíveis sugerem que a sobredosagem aguda não dá origem a reacções graves imediatas. Noentanto, deve ter-se em consideração que deve ser reduzida a absorção do fármaco através do uso de carvãoactivado, devendo manter-se o doente sob observação para o caso de surgirem reacções posteriores.

5. PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS
PROPRIEDADES FARMACODINÂMICAS

Grupo farmacoterapêutico: 8.1.3 – Antagonistas hipofisários.
Código ATC: G03X A01 – Danazol

As propriedades farmacológicas do danazol incluem: afinidade relativamente marcada para os receptoresandrogénicos, alguma afinidade para os receptores da progesterona e menor afinidade para os receptoresestrogénicos.

O danazol possui uma actividade androgénica fraca. No entanto foi também observada alguma actividadeanti-androgénica, progestagénica, anti-progestogénica, estrogénica e anti-estrogénica. Interfere com asíntese das hormonas sexuais, possivelmente pela inibição da enzima de clivagem da cadeia lateral docolesterol e outras enzimas da génese dos esteróides.

O danazol pode também inibir a acumulação de AMP cíclico nas células granulosas e do corpo amarelocomo resposta às hormonas gonadotróficas.

Observou-se inibição da oscilação do meio do ciclo de FSH e LH e redução da pulsatibilidade da LH. Odanazol pode reduzir os níveis plasmáticos destas gonadotrofinas após a menopausa.

Observou-se uma vasta gama de acções nas proteínas plasmáticas incluindo o aumento da protrombina,plasminogénio, antitrombina III, macroglobulina alfa-2, inibidor da esterase C1, eritropoietina e redução dofibrinogénio, e das globulinas transportadoras das hormonas tiroideia e sexuais. O danazol aumenta aproporção e concentração da testoterona livre no plasma.

Os efeitos supressores do danazol no eixo hipotálamo-hipófise-gónadas são reversíveis, reaparecendo aactividade cíclica normalmente 60-90 dias após o tratamento.

5.2. PROPRIEDADES FARMACOCINÉTICAS

Após administração oral em mulheres adultas saudáveis, o danazol apresenta uma absorção dose-
dependente que se aproxima da linearidade dentro da posologia média de 100 a 400 mg duas vezes ao diaem tomas múltiplas.

A absorção é afectada pelo estado prandial, sendo aproximadamente duplicada se o danazol foradministrado imediatamente após uma refeição, comparativamente com 2 horas antes da mesma.

Os principais metabolitos do danazol são a etisterona e a 17-hidroximetiletisterona. A semi-vida média deeliminação plasmática do danazol é de cerca de 24 horas.

5.3. DADOS DE SEGURANÇA PRÉ-CLÍNICA

Não há dados de segurança pré-clínica adicionais relevantes para o médico para além dos mencionadosneste Resumo das Características do Medicamento.

INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS
Lista dos excipientes

Amido de milho, lactose mono-hidratada, talco, estearato de magnésio.
Revestimento: dióxido de titânio, gelatina

Incompatibilidades

Não se conhecem.

Prazo de validade

3 anos.

Precauções especiais de conservação

Não guardar acima de 25ºC.

Natureza e conteúdo do recipiente

Blister de PVC/Alumínio com 10 alvéolos cada.
Caixas de cartolina, contendo cada uma 2 ou 6 blisters, consoante se tratem de embalagens de 20 ou 60cápsulas.

Instruções de utilização e manipulação

Não se aplica.

TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

SANOFI-AVENTIS – Produtos Farmacêuticos, S.A.
Empreendimento Lagoas Park
Edifício 7 ? 3º piso
2740-244 Porto Salvo

NÚMERO DE AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

20 cápsulas a 200 mg – 8494559
60 cápsulas a 200 mg – 8494567

DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAÇÃO OU RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO INTRODUÇÃO NO
MERCADO

21 de Agosto 1979

DATA DA REVISÃO DO TEXTO


One Response

  1. Alzira 29 de Agosto de 2013

Adicionar Comentário