Cronocol Gentamicina caracteristicas medicamentos

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

1.DENOMINAÇÃO DO MEDICAMENTO

CRONOCOL, 130 mg, implante

2.COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA

Um implante Cronocol 10×10 tem as dimensões de 10cm x 10cm x 0,5cm e contém 200mg de sulfato de gentamicina equivalente a 130mg de gentamicina.

Um implante Cronocol 5×20 tem as dimensões de 5cm x 20cm x 0,5cm e contém 200mg de sulfato de gentamicina equivalente a 130mg de gentamicina.

Excipientes, ver 6.1.

3.FORMA FARMACÊUTICA

Implante.

4.INFORMAÇÕES CLÍNICAS

4.1Indicações terapêuticas

O implante Cronocol pode ser usado em infecções causadas por microrganismos sensíveis à gentamicina, nomeadamente nas seguintes indicações, nos adultos:

Tratamento adjuvante de infecções ósseas residuais (suspeitas), i.e osteomielite e osteíte.
– Prevenção de infecções locais após extirpação do recto e excisão do quisto pilonidal.

O implante Cronocol não deve ser utilizado em monoterapia em casos de infecção confirmada ou suspeita; nestes casos, é também recomendado administrar, por via sistémica, os antibióticos apropriados.

4.2Posologia e modo de administração

Após a limpeza cirúrgica do foco da infecção o implante Cronocol é introduzido na cavidade da ferida. Nos estudos clínicos realizados e, dependendo da situação, o implante foi aplicado numa grande variedade de formas: aplicado direito (como um revestimento); enrolado ou dobrado (e deixado solto) na cavidade da ferida e misturado com fragmentos de osso esponjoso para implantação numa cavidade óssea. O implante Cronocol é aplicado durante a intervenção cirúrgica, sendo absorvido (biodegradável).

Recomendações posológicas

No tratamento adjuvante ou suspeita de infecções ósseas residuais (suspeitas), i.e osteomielite e osteíte: Em geral, um implante de 10×10 ou de 5×20 (até um máximo de cinco implantes 10×10 ou 5×20).

Na prevenção de infecções locais após extirpação do recto e excisão do quisto pilonidal: Em geral, um implante 10×10 ou 5×20 (até um máximo de três implantes 10×10 ou 5×20).

4.3Contra-indicações

Hipersensibilidade, conhecida ou suspeita, ao colagénio, gentamicina ou a outros aminoglicosidos.

4.4Advertências e precauções especiais de utilização

Embora fossem observadas concentrações séricas baixas de gentamicina quando se utiliza o implante Cronocol, dever-se-ão ponderar cuidadosamente os benefícios resultantes deste tratamento em doentes com insuficiência renal grave relativamente aos possíveis efeitos adversos na função renal.

Embora em estudos clínicos as concentrações séricas de gentamicina não tenham atingido geralmente níveis tóxicos (ver secção 5.2 propriedades farmacocinéticas) durante o tratamento com o implante Cronocol, é, do mesmo modo, recomendada a determinação dos níveis séricos de gentamicina e a monitorização da função renal através do doseamento dos níveis séricos de creatinina.

O tratamento concomitante com aminoglicosidos sistémicos deve ser evitado. No entanto, se o uso destes medicamentos for considerado necessário, este deverá ser feito mediante a monitorização dos níveis séricos de aminoglicosidos e da função renal.

Os aminoglicosidos devem ser utilizados com precaução em indivíduos com doenças neuromusculares, nomeadamente, miastenia grave ou parkinsonismo, uma vez que estes fármacos podem agravar a fraqueza muscular devido aos potenciais efeitos do tipo curare que exercem sobre a junção neuromuscular.

Existem reacções de hipersensibilidade cruzada entre aminoglicosidos.

Não foi estabelecida a segurança do Implante Cronocol em doentes pediátricos.

No caso de se utilizarem diversos implantes aconselha-se a inserção de uma drenagem livre.

Não existem dados disponíveis sobre a administração do Cronocol em doentes com doenças imunológicas ou do tecido conjuntivo. Embora não esteja ainda provado que o uso de colagénio de origem animal leve a exacerbações de doenças imunológicas e do tecido conjuntivo, como por exemplo, o lupus eritematoso, esclerodermia e
poliartrite crónica, é aconselhável a administração do Cronocol nestes doentes,
apenas, sob vigilância apertada (ver secção 4.3 Contra-indicações).

4.5Interacções medicamentosas e outras formas de interacção

Embora as concentrações séricas de gentamicina sejam geralmente baixas após a
implantação de Cronocol, dever-se-á considerar a possibilidade de interacções
associadas com a gentamicina.

Deve evitar-se a utilização concomitante de gentamicina ou de outros
aminoglicosidos com diuréticos potentes, tais como a furosemida e o ácido
etacrínico, uma vez que estes diuréticos podem, por si só, ter efeitos ototóxicos.
Adicionalmente, quando administrados por via intravenosa, os diuréticos podem
potenciar a toxicidade dos aminoglicosidos, alterando as concentrações séricas e
tecidulares de antibiótico.

A utilização sistémica concomitante e/ou sequencial ou a aplicação tópica de outros
fármacos potencialmente neurotóxicos e/ou nefrotóxicos, tais como a cisplatina,
outros aminoglicosidos, estreptomicina, cefaloridina, viomicina, polimicina B e
polimicina E, podem potenciar a toxicidade.

O uso local concomitante de antibióticos ?-lactâmicos pode resultar numa inactivação
mútua significativa.

Deve ser tida em consideração a possibilidade de bloqueio neuromuscular e de
paralesia respiratória em doentes que recebam aminoglicosidos, independentemente
da via utilizada, e que estejam medicados com agentes bloqueadores
neuromusculares, nomeadamente com a succinilcolina ou a tubocurarina,
anestésicos ou transfusões maciças de sangue com anticoagulante citrato. Nos casos
em que se verifica bloqueio neuromuscular, os sais de cálcio podem reverter este
fenómeno.

A gentamicina não pode ser administrada concomitantemente com fármacos
bacteriostáticos.

4.6Gravidez e aleitamento

A segurança deste medicamento em mulheres grávidas ainda não foi estabelecida.
Os estudos experimentais realizados em animais são insuficientes para avaliar a
segurança durante o desenvolvimento embrio-fetal, na evolução da gravidez, e ainda
no desenvolvimento do período peri e pósnatal.

Os antibióticos do grupo dos aminoglicosidos atravessam a placenta e podem
provocar lesões fetais quando administrados a mulheres grávidas. Desconhece-se se
o sulfato de gentamicina provoca lesões fetais quando administrado à mulher
grávida, ou se pode afectar a capacidade reprodutora.

Dado os aminoglicosidos serem excretados no leite e poderem causar reacções
adversas nos lactentes, deve-se escolher entre interromper o aleitamento ou a
terapêutica em função da importância do fármaco para a mãe.

4.7Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

Não relevante.

4.8Efeitos indesejáveis

Os efeitos adversos sobre a função renal, que se reflectem por um aumento do nível
da creatinina plasmática, podem ser observados quando existe tratamento
simultâneo com gentamicina de uso sistémico ou em doentes com insuficiência renal
ou com problemas renais anteriores à implantação. Portanto efeitos indesejáveis,
nefrotóxicos e neurotóxicos são possíveis. Devem aplicar-se as medidas
convenientes de precaução em doentes com insuficiência renal.

Doenças do sistema nervoso
Neurotoxicidade: Podem ocorrer efeitos adversos tanto sobre os ramos vestibular
como auditivo do oitavo nervo craniano, principalmente em doentes com
insuficiência renal e com administração de aminoglicosidos sistémicos. Estes
sintomas incluem tonturas, vertigens, acufenos, ruídos nos ouvidos e perda da
acuidade auditiva. À semelhança do que se verifica com outros aminoglicosidos,
quando ocorrem alterações vestibulares, estas podem ser irreversíveis.

Afecções dos tecidos cutâneos e subcutâneas
Pode observar-se eritema local, prurido e um aumento da secreção da ferida devido
à reabsorção do colagénio.

Doenças renais e urinárias
Nefrotoxicidade: Os efeitos da insuficiência renal são demonstrados pela presença de
cilindros, células ou proteínas na urina, ou pelo aumento da ureia sérica, creatinina
sérica e oligúria. Estes efeitos são mais frequentes em doentes com história de
insuficiência renal.

São possíveis reacções de hipersensibilidade ao cronocol.

4.9Sobredosagem

Não são esperados efeitos secundários significativos quando se utilizaram vários
implantes.
Em caso de sobredosagem grave, a concentração sérica de gentamicina pode ser
reduzida através de hemodiálise.

5.PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS

5.1 Propriedades farmacodinâmicas

Grupo farmacoterapêutico: Aminoglicosidos antibacterianos ? outros
aminoglicosidos, código ATC: J01G B03.

O Implante Cronocol é um implante estéril que contém sulfato de gentamicina, um
antibiótico de largo espectro, e colagénio de equino como substância de transporte.

O implante tem como objectivo proporcionar concentrações elevadas de
gentamicina, localmente, na área da implantação, com eliminação ou prevenção
(suspeita) da infecção local. A elevada concentração local pode manter-se durante
vários dias.

Microbiologia

A gentamicina é um antibiótico bactericida que pertence ao grupo dos
aminoglicosidos e actua por inibição da síntese proteica normal em microrganismos
sensíveis. È activa contra uma ampla variedade de bactérias Gram-negativas e
Gram-positivas.

Sensíveis (CIM < 1 µg/ml): Citrobacter, espécies de Staphylococcus.

Moderadamente sensíveis (CIM = 1-4 µg/ml): Pseudomonas aeruginosa, estirpes de
Proteus, tanto indol-positivas (P. vulgaris) como indol-negativas (P. mirabilis),
Escherichia coli, Enterobacter, Serratia, Salmonella spp, Shigella, Klebsiella.

A maioria dos Streptococcus são resistentes aos aminoglicosidos.

A concentração bactericida de gentamicina varia geralmente entre uma a quatro
vezes a sua concentração inibitória mínima. A resistência bacteriana resultante da
inactivação enzimática da gentamicina desenvolve-se, em geral, lentamente e de
forma progressiva. Pode registar-se a ocorrência de resistência cruzada com outros
aminoglicosidos.

A combinação de gentamicina com um antibiótico do grupo das penicilinas ou das
cefalosporinas pode exercer um efeito sinérgico sobre algumas estirpes de bactérias.

5.2Propriedades farmacocinéticas

Foram encontradas, no fluido das feridas em diferentes estudos, concentrações
tecidulares locais elevadas no período de 1 a 2 horas, que variam entre 300 e 9000
µg/ml. Num determinado dia, observaram-se concentrações elevadas mas também
mais baixas. Estas concentrações excedem várias vezes a concentração bactericida
da gentamicina. No exsudado podem persistir níveis significativamente elevados por
aproximadamente 3 dias após a intervenção cirúrgica. Não é possível estabelecer
uma correlação entre a dose (número de implantes) e a concentração no exsudado.
Tem sido, no entanto, postulada a existência de uma relação inversa entre a
concentração de gentamicina presente no exsudado e a vascularização regional a
nível da incisão operatória. Os métodos de colocação e a localização dos implantes
afectam também, de forma significativa, a libertação de gentamicina, por exemplo a
concentração máxima de gentamicina no exsudado é mais elevada quando o
implante é usado nos tecidos moles comparativamente do que quando é usado em
infecções ósseas.
Na dose recomendada, as concentrações séricas máximas são, geralmente cerca de
3 µg/ml no caso de tratamento das infecções ósseas, enquanto que nos tecidos
moles – como mencionado nas indicações – podem observar-se concentrações séricas
máximas mais elevadas (4 a 5 µg/ml). Contudo, as concentrações séricas, não
atingem normalmente níveis tóxicos (> 10 µg/ml).

Distribuição: A ligação da gentamicina às proteinas plasmáticas é cerca de 25-30%.
A gentamicina passa a barreira hemato-encefálica, bem como a peritonial e a
membrana placentária.

Biotransformação: A gentamicina é parcialmente inactivada por conjugação.

Eliminação: As concentrações biliares são normalmente baixas, o que reflecte uma
mínima excreção através da bílis. A gentamicina é maioritariamente excretada na

urina, através da filtração glomerular. A clearance renal da gentamicina corresponde
á clearence endógena da creatinina.
Nos pacientes com a função renal comprometida, a clearance da gentamicina é mais
lenta. Elevadas concentrações podem ser encontradas na urina (acima de 100µg/ml).

O colagénio é completamente reabsorvido. O tempo de reabsorção depende das
condições locais (ver atrás).

5.3 Dados de segurança pré-clínica

Estudos toxicológicos realizados em animais indicaram dois órgãos alvo para a
Gentamicina: o rim e o ouvido interno; como se observa com outros aminoglicósidos.
A experimentação animal demonstrou que a implantação do Cronocol é bem tolerada
a nível local e sistémico.

6.INFORMAÇÕES FARMACÊUTICAS

6.1Lista de excipentes

Colagénio equino

O produto final é esterilizado com o óxido de etileno.

6.2Incompatibilidades

Desconhecem-se incompatibilidades (ver também secção 4.5 Interacções
medicamentosas e outras formas de interacção).

6.3Prazo de validade

Não utilizar Cronocol após expirar o prazo de validade indicado na embalagem. O
implante Cronocol tem uma prazo de validade de 48 meses.
O implante Cronocol é um produto estéril.

6.4Precauções especiais de armazenagem

O medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação
Não refrigerar ou congelar

6.5Natureza e contéudo do recipiente

O implante Cronocol é embalado numa bolsa de plástico esterilizada (= saqueta
interior: HDPE/poliester/LDPE) Esta bolsa está encerrada numa saqueta autoselável
(= saqueta exterior: poliester/LDPE). A face externa desta saqueta autoselável não é
estéril.

6.6Instruções de utilização e manipulação

A saqueta interna deve ser removida assepticamente da saqueta autoselável
externa; o implante é seguidamente removido da saqueta autoselável interna, em
condições assépticas, e utilizado seco (ver secção 4.2 Posologia e modo de

admnistração). Uma vez aberta a saqueta externa, o implante deve ser utilizado ou
eliminado. O produto não pode ser re-esterilizado.

7.TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

EUSA Pharma (Europe) Ltd
The Magdalen Centre, Oxford Science Park
OX4 4GA Oxford
United Kingdom

8.NÚMERO(S) DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

9.DATA DA PRIMEIRA AUTORIZAÇÃO/RENOVAÇÃO DA AUTORIZAÇÃO DE
INTRODUÇÃO NO MERCADO

Data da primeira autorização:
Data da primeira renovação:

10.DATA DA REVISÃO DO TEXTO


2 comentários

  1. Tita Alves 18 de Janeiro de 2014
  2. Otilia Rebolo 24 de Setembro de 2015

Adicionar Comentário