Como reconhecer e prevenir doença Raiva

Grave doença infecciosa causada pelo vírus da raiva, de que são portadores alguns animais, principalmente cães e raposas.

Esta doença é transmitida ao homem através da mordedura de um animal infectado. O vírus propaga-se directa­mente do local da mordedura até ao cérebro, onde provoca uma encefalite. A mordedura cicatriza geralmente antes da manifestação dos sintomas. O trata­mento é ineficaz após esta manifestação, e a morte sobrevêm geralmente num prazo de quatro dias.

Sintomas da doença Raiva

Os sintomas incluem: febre, dor de cabeça, dor de garganta e dores musculares, a que se segue uma sensação de entorpeci­mento ou dor no local da mordedura já cicatrizada; decorridos um a quatro dias; o doente fica excitado e agitado e começa a sofrer de alucinações e con­fusão; podem verificar-se espasmos musculares, rigidez do pescoço e das costas, convulsões e zonas de paralisia; salivação excessiva e dificuldade de deglutição, que produzem espuma na boca; espasmos dolorosos da gar­ganta aliados a uma reacção de terror sempre que o doente tenta ingerir líqui­dos.

Como tratar Raiva

O tratamento depende do risco de existência da raiva. Se hou­ver conhecimento de casos desta doença na região, qualquer indivíduo mordido por um animal deve informar-se sobre as medidas indicadas a tomar através de um médico ou de um veteri­nário.

Uma vez confirmado o risco da exis­tência de raiva, a vítima tem de levar uma série de injecções, as quais devem ser aplicadas antes da manifestação dos sintomas.

Como prevenir

A única medida pre­ventiva possível consiste em impedir a entrada de animais raivosos em países onde não exista essa doença. Esta medida poderá significar uma rigorosa inspecção dos animais que entrem atra­vés das fronteiras, quer marítimas, quer terrestres.

As pessoas que correm o risco de contrair raiva, tais como os veterinários ou os que vivem em zonas onde tenha havido casos desta doença, deverão considerar a hipótese de serem vacina­das.


Adicionar Comentário