Ferimentos em animais, Primeiros socorros para cães e gatos

As lesões mais vulgares que um cão ou um gato podem sofrer são as seguintes: dentadas, hemorragias, fracturas e ferimentos nas pernas, asfixia, introdução de corpos estranhos numa pata, golpe de calor, envenenamento e picadas. Em qualquer destes casos, o animal deve ser levado o mais depressa possível ao veterinário. Mas, antes disso, pode intervir para atenuar a aflição ou a dor do animal.

Dentadas

Procure com os dedos o ponto lesionado. Corte o pêlo em volta da ferida com uma tesoura de unhas e lave a ferida com água morna, onde diluiu previamente uma pequena porção de uma loção anti-séptica. Se possível, cubra a ferida com um penso improvisado com um pano limpo — por exemplo, um lenço dobrado — ou uma compressa e aplique uma ligadura. Leve o animal ao veterinário para este examinar a ferida.

No caso de um gato, o primeiro sintoma da dentada pode ser um abcesso ou um inchaço — o gato mostra-se agitado e perde o apetite. Leve o mais depressa possível o animal ao veterinário para ser convenientemente tratado.

Hemorragias

Quando um golpe está a sangrar muito, cubra-o com um penso limpo e aperte com uma ligadura para o penso não se deslocar. Leve o mais depressa possível o animal ao veterinário.

Picadas de Insectos

Às vezes, os cães e os gatos correm atrás das abelhas e são picados, geralmente na região do focinho. Se o animal foi picado na pele, aplique uma pomada anti-histamínica (v. alergias), evitando que esta toque nos olhos e na boca do animal. Sc este foi picado den-iro da boca, leve-o imediatamente ao veterinário, antes de iniciar qualquer tratamento. A primeira coisa que tem de fazer e controlar o animal. Se for um cão, ponha-lhe a trela e leve-o para um lugar tranquilo para o examinar. Se não tiver a trela à mão, recorra a um bocado de corda ou cordel ou a um cinto. Se o cão não conseguir manter-se de pé, leve-o num cobertor ou numa toalha grande.

No caso de um gato, agarre-o pelo cachaço com uma das mãos e segure-lhe os quartos traseiros com a outra. Leve-o para um lugar tranquilo — pode embrulhar o animal num cobertor se ele estiver agitado ou inquieto.

Golpe de calor

Quando for obrigado a deixar um cão dentro do automóvel, deixe duas janelas abertas cerca de 5 a 7,5 cm para fazer corrente de ar.

Se o cão tiver sofrido um golpe de calor, leve-o imediatamente para um lugar fresco e sombrio e molhe-o com água fria. com uma esponja ou toalhas. Envolva o animal com toalhas molhadas com água fria. Se possível, passe-lhe cubos de gelo pela barriga, enrole-o noutras toalhas molhadas em água fria e leve-o a um veterinário o mais rapidamente possível.

Coxear

Quando um cão ou um gato começam a coxear, examine cuidadosamente a perna afectada. Apalpe a perna toda, procurando um inchaço, um ponto doloroso ou quente Veja também se o animal não tem golpes — principalmente na parte carnuda da pata (almofadinhas) — ou se não tem pedras, um espinho ou uma farpa espetados. Se o animal tiver alguma coisa enterrada na carne, leve-o ao veterinário.

Se a pata estiver inchada ou tiver sofrido qualquer lesão, lave-a em água morna, a que acrescentou um desinfectante fraco. Em seguida, leve o animal ao veterinário.

Fractura de uma perna

Quando o animal tem a pata numa posição anormal, pode ser sintoma de uma fractura. Endireite cuidadosamente a pata. colocando-a numa posição o mais confortável possível, e estanque a hemorragia, se a houver. Depois, ligue a pata com cuidado, mas firmemente, a uma tala de madeira ou contraplacado mais ou menos com a forma da pata. Em seguida, leve o animal ao veterinário.

Asfixia

Tire imediatamente a coleira ao animal. Se este tiver alguma coisa alojada na garganta — por exemplo, um osso ou um pau, abra-lhe a boca e tire o objecto. Para impedir que o animal cerre os maxilares, entale-lhe um objecto, como o cabo de uma colher, entre os cantos da boca.

Quando o cão tem uma bola entalada na garganta, tente meter um dedo por detrás da bola e tirá-la, utilizando o dedo como um gancho. Em alternativa, coloque os dedos de cada lado das bochechas do cão o mais atrás possível e comprima de forma a impelir a bola para fora tia boca.

Mantenha o cão num lugar quente, não o deixe comer ou beber e leve-o o mais depressa possível ao veterinário.

Corpos estranhos numa pata

Objectos farpados, como, por exemplo, anzóis, podem espetar-se nas patas de um cão ou gato. Corte a linha de pesca a que o anzol está fixo — mas se o anzol ficar escondido pelo pêlo, deixe uma porção de linha para o localizar. Se o anzol não sair facilmente, empurre-o para a frente de modo que a farpa fique exposta – tem de arranjar alguém para segurar no animal enquanto faz este trabalho. Corte a farpa com um alicate e depois retire o resto do anzol. Lave a ferida, cubra-a com um penso e leve o animal ao veterinário.

Não tente retirar um anzol que tenha penetrado numa parte sensível do corpo – tal como a boca ou os olhos. O tratamento pode exigir uma anestesia e, como tal, terá de ser feito por um veterinário. Não tente extrair estilhaços de vidro do corpo do animal. Essa tarefa deve ser também confiada ao veterinário.


2 comentários

  1. Expedita Ricarte 1 de Maio de 2013
  2. gislanne 3 de Julho de 2013

Adicionar Comentário