Como surge o grau Parentesco e como se contam os graus

Parentesco é o vínculo que une duas pessoas em consequência de uma descender da outra ou ambas descenderem de um progenitor comum, por exemplo um avô; a linha de parentesco pode ser recta ou colateral. É recta se um dos parentes descende do outro (pai e filho, por exemplo); colateral se nenhum deles descender do outro, mas ambos descenderem de um progenitor comum (tio e sobrinho, por exemplo).

Quer na linha recta, quer na colateral, contam-se os graus de parentesco. Na linha recta, haverá tantos graus quantas as pessoas que formem a linha de parentesco, excluindo o progenitor (assim, avô e netos, por exemplo, são parentes no 2.° grau, pai e filho, no 1.° grau). Na linha colateral, os graus contam-se da mesma forma, subindo por um ramo e descendo por outro, mas sem contar com o progenitor comum (sobrinho e tio são parentes no 3° grau, enquanto dois irmãos são parentes no 2.° grau).

Exemplo  do António

José é seu parente em 1.° grau, Luís em 2.°, Pedro em 3°, Fernando em 4.°, Bernardo em 5.° Luís e Pedro (pai e filho) são parentes em 1.° grau. Pedro e Bernardo (avô e neto) são parentes em 2.° grau.

Linha colateral

Todos descendem de José em comum. Luís e Carlos (irmãos) são parentes em 2.° grau. Rui e Pedro em relação a Carlos (sobrinhos e tio) são parentes em 3o grau. Rui e Duarte (primos direitos) são parentes em 4.° grau.

Afinidade

É o vínculo que liga cada um dos cônjuges aos parentes do Outro. Existe assim um vínculo de afinidade entre um cônjuge e o seu sogro, entre um cônjuge e uma cunhada, por exemplo. É errado falar em «parentesco por afinidade», uma vez que ou se é parente ou se é afim de alguém, nunca uma coisa e outra simultaneamente.


Adicionar Comentário