Como proceder à verificação dos pneus do seu automóvel

Verifique os pneus do seu automóvel pelo menos duas vezes por mês e sempre antes de fazer uma viagem. A lei exige que a profundidade mínima do piso seja de 1 mm (v. também segurança do automóvel), mas, para além disso, deve ter-se em consideração que a utilização de um automóvel com pneus em mau estado constitui um perigo para os seus ocupantes e para quem quer que circule na estrada. Desmonte periodicamente os pneus e verifique se existem sinais de desgaste ou outros danos nas paredes interiores.

Como inspeccionar o piso e as paredes dos pneus

Verifique se há danos no desenho do piso ou se este apresenta um desgaste excessivo. Um desgaste anormal das ranhuras do piso é sinal de que os pneus estão velhos e devem ser substituídos. Retire as pedras e grãos de saibro, pregos ou tachas que possa encontrar

Como verificar a pressão dos pneus

A pressão dos pneus em Portugal é indicada em libras por polegada quadrada (por exemplo, 24 psi significa que em cada polegada quadrada a pressão é de 24 libras). Faça-o todos os 15 dias e sempre antes de uma longa viagem. A utilização dos pneus com uma pressão inadequada, especialmente se demasiadamente baixa, provoca o desgaste rápido das lonas e afecta a condução. Faça esta verificação com os pneus frios, pois a pressão interior aumenta quando estão quentes. Encha os pneus com a pressão recomendada pelo fabricante. Os pneus do mesmo eixo devem ter a mesma pressão.

Aumente a pressão dos pneus, de acordo com as indicações do fabricante, antes de transportar uma carga pesada, fazer um reboque ou se for conduzir a alta velocidade. Geralmente, aumenta-se a pressão dos pneus traseiros de 4 a 6 psi para transporte de carga ou reboques e de 3 a o psi em todos os pneus para condução a alta velocidade.

Nos pneus e a seguir verifique se não houve perda de pressão. Se isso acontecer, deve mandar consertar os pneus. Se os pneus apresentarem uma série de fendas, deve substituí-los. Verifique se existem zonas lisas ou de desgaste desigual no desenho do piso.

As zonas lisas resultam de travagens e acelerações bruscas ou violentas; um desgaste excessivo na parte central do piso indica que o pneu tem demasiada pressão; se o pneu rola normalmente com pressão insuficiente, o desgaste ocorre nos bordos. Se só houver desgaste num dos lados do piso, convém mandar verificar a suspensão e a distância entre rodas.

Não conduza com velocidade se as paredes laterais dos pneus fizerem barrigas. Pode ainda utiliza-los durante algum tempo em viagens locais e conduzindo em velocidade reduzida, mas logo que tenha oportunidade substitua-os.

Como verificar a profundidade do piso

Faça esta verificação regularmente (v. figura), especialmente quando os pneus começarem a apresentar sinais de desgaste.

A profundidade do piso deve ser pelo menos de 1 mm em toda a circunferência do pneu e cm pelo menos três quartos da largura do piso; no entanto, é mais seguro ter pelo menos 2 mm de profundidade. No resto da largura do pneu, o desenho do piso deve ser bem visível. Verifique com cuidado o pneu a toda a volta, movendo o carro devagar para poder medir a profundidade do piso nas secções em que o carro esteve apoiado.

Inspeccione o piso ou rasto, para verificar se existem sinais de desgaste excessivo ou cortes. Retire todos os pregos ou pedrinhas que encontrar com uma chave de parafusos romba. Veja se as paredes laterais apresentam cortes, lendas, desgaste ou barrigas.

A profundidade das ranhuras do piso

Verifique com um medidor de profundidade ou introduza a ponta de uma chave de parafusos na ranhura e marque a profundidade com a unha do polegar


Adicionar Comentário