Como organizar uma viagem com deficientes

Marque a viagem tão cedo quanto pos­sível. Se vai viajar por intermédio de uma agência de viagens, forneça ao agente as informações necessárias sobre a deficiência do seu acompanhante para que este possa ter uma viagem sem pro­blemas.

Se o seu acompanhante, por exemplo, utiliza uma cadeira de rodas, faça a reserva em hotéis com facilidade de acesso, rampas ou elevadores e portas de largura suficiente e os apoios neces­sários, como barras em casas de banho. Se o seu companheiro tem um cão-guia, certifique-se de que são cumpridas todas as formalidades necessárias e que não vai enfrentar dificuldades no hotel. Peça que o hotel confirme por escrito que está em condições de responder às suas exigências.

Se vai viajar para o estrangeiro, certifique-se dc que o seu acompa­nhante possui os sf.guros necessários.

Verifique se o seu companheiro de viagem leva o equipamento indispensá­vel e todos os medicamentos necessá­rios e se sabe a composição química dos mesmos; anote esses dados, que podem ser de grande utilidade, pois os medicamentos são geralmente comer­cializados com nomes diferentes de país para país.

Viajar no interior do País. Se pensa utilizar comboio ou camioneta, con­tacte o responsável local dos Caminhos de Ferro ou a empresa de transportes rodoviários com alguma antecedência. Forneça os detalhes sobre a deficiência do seu acompanhante, a data em que pretende viajar e o destino para permi­tir que a transportadora possa fornecer uma rampa para facilitar o acesso de um passageiro em cadeira de rodas à par­tida e à chegada,

Dirija-se à estação com bastante ante­cedência, pois nem sempre é fácil a movimentação de um passageiro defi­ciente e pode tornar-se necessário mon­tar rampas ou utilizar elevadores.

Peça na estação ou no ponto de par­tida que seja reservado um lugar para o seu acompanhante. Em geral, existem nos comboios e camionetas lugares des­tinados a deficientes.

A CP tem algumas estações sem bar­reiras físicas e outras com rampas de acesso e instalações sanitárias para defi­cientes e dispõe ainda em algumas linhas de instalações sanitárias adapta­das em carruagens especiais. Convém contactar a transportadora com 72 horas de antecedência, excepto no Ser­viço Internacional, onde essas carrua­gens são diariamente garantidas.

A Companhia Carris de Ferro de Lisboa dispõe de autocarros especiais que cir­culam pela cidade fazendo o transporte de deficientes motores, cujo percurso é traçado de acordo com as possibili­dades de atendimento e as necessidades dos utentes.

O Aeroporto de Lisboa é acessível a deficientes que se desloquem em cadei­ras de rodas e dispõe de instalações sanitárias próprias. Nos aeroportos por­tugueses existem cadeiras de rodas à disposição de quem delas necessite.

Viajar no estrangeiro. As facilidades em aeroportos ou estações ferroviárias e rodoviárias variam conforme os paí­ses. Por isso, é de toda a conveniência certificar-se previamente das dificulda­des que poderá enfrentar e das alterna­tivas possíveis para as ultrapassar. Na maioria, as companhias de aviação e os aeroportos dispõem de cadeiras de rodas para transporte de passageiros deficientes dentro do terminal e para dentro ou para fora do aparelho. Se o seu acompanhante tem restrições ali­mentares, informe com antecedência a transportadora para que possa fornecer refeições adequadas.

Ao fazer a reserva, informe as compa­nhias aérea ou transportadora ou o agente de viagens sobre a deficiência do seu acompanhante e qual o tipo de ajuda necessária no terminal e durante a viagem. Depois, telefone para a agência de viagens alguns dias antes cie viajar e peça que confirme a aceitação das suas condições.

Ao preparar a sua viagem no interior do País ou para o estrangeiro, dirija-se ao Secretariado Nacional de Reabilita­ção (Avenida Conde de Valbom, 63 — 1000 Lisboa. Telefones: 73 65 17-76 10 58), organismo dependente do Ministério do Emprego e da Segurança Social, que pode fornecer-lhe todas as indicações de que necessitar, dispondo também de folhetos e brochuras que poderão auxiliá-lo a programar uma via­gem sem sobressaltos.


Adicionar Comentário