Como detectar a presença de agua utilizando varas de vedor

Se quiser descobrir a sua capacidade de detectar a presença de água no solo, comece por fazer em casa as suas pró­prias varas.

Não espere que as suas tentativas pro­duzam resultados imediatos. Para poder pesquisar água, deve encontrar-se des­contraído e num estado de espírito receptivo. Os instrumentos mais utiliza­dos para detectar a presença de água são as varas angulares e as flexíveis.

Como utilizar varas angulares. Pode fazer facilmente um par de varas angula­res com dois cabides de metal. Com a ajuda de um alicate, ce)rte o arame da base dos cabides numa extremidade e o braço da extremidade oposta a 12,5 cm da dobra. Abra a dobra de modo que as hastes formem um ângulo recto. Intro­duza o braço mais curto da vara num tubo ou rolo fino para obter uma pega para segurar nas varas sem lhes tocar directamente, permitindo ao mesmo tempo que elas se movam e rodem livremente. Dobre a extrcmielade supe­rior do arame para que o tubo não possa cair.

Segure nas pegas tão perto quanto possível  elo braço horizontal, sem apertar muito os punhos. DèsCõntraia–se completamente, colocando os bra­ços ao longo do corpo. Traga as varas até à horizontal, mantendo os braços c os pulsos afastados à largura do corpo. As varas deverão estar mais ou menos paralelas e apontando para fora (posição neutra).

As varas podem reagir vibrando para dentro, podendo cruzar-se, para fora ou ainda na mesma direcção, ligeiramente afastadas.

Pratique caminhando com as varas em posição neutra, mas sem as segurar rigidamente. Procure fixar em que momentos e de que forma ocorrem as reacções.

Algum tempo de prática pcrmitir-lhc–á diferençar as vibrações resultantes do seu próprio movimento das que surgem como reacção à presença de água.

Como utilizar varas flexíveis. A vara em forma de Y, ou forquilha, pode fazer-se com um simples ramo ou com duas varas flexíveis de madeira ou de metal unidas. Escolha de preferência ramos de aveleira, espinheira ou cere­jeira e remova toda a folhagem. Os bra­ços da vara devem ter 4,60 cm de com­primento e 6-13 mm de espessura.

Segure bem os braços da forquilha, mantendo as palmas das suas mãos vira­das para cima, e dirija a ponta da vara para si ou para fora. A vara reagirá movendo-se para baixo e para cima. A água deverá encontrar-se por baixo da ponta da vara, no sítio onde a reacção for mais forte.

Como praticar com a canalização da água. Para começar, tente descobrir a conduta da água que serve a sua casa e o respectivo trajecto. Caminhe repetida­mente para trás e para a frente na área mais provável, concentre-se na canaliza­ção e preste atenção aos movimentos de reacção da vara.

Faça o percurso duas ou três vezes a diferentes horas do dia para confirmar se as reacções ocorrem nos mesmos pontos.

Como avaliar a profundidade da água. Existem vários métodos para ava­liar a profundidade da linha da água, sendo a regra de Bishops uma das mais simples. Coloque-se de pé num dos pontos onde ocorreu uma reacção ao longo da linha de água. Descontraia-se com os braços ao longo do corpo. Eleve o instrumento lentamente até à posição neutra e afaste-se da linha de água. Marque o ponto onde o instru­mento voltar a reagir. Este ponto não deverá pertencer ao trajecto da linha de água previamente marcado. Regresse à linha de água e afaste-se de novo noutra direcção até presenciar nova reacção da vara.

Repita estes movimentos até obter uma série de pontos com o traçado grosseiro de um círculo. A profundi­dade da água, a partir da superfície, será aproximadamente a do raio do círculo definido pela série de pontos.


2 comentários

  1. Agostinho Pedroso 15 de Janeiro de 2014
    • Aldo 13 de Dezembro de 2016

Adicionar Comentário