Como Pressionar Nos Botões Emocionais dos clientes

Quer saber como carregar nos botões emocionais dos seus clientes? Aqui é onde a pesquisa realmente compensa. Porque, para carregar nos botões, você precisa de saber primeiro quais são.

Ouça esta história, e vai entender o que eu lhe quero dizer:

era uma vez um jovem que entrou numa determinada concessionária da Chevrolet para ver um Chevy Camaro. Ele tinha dinheiro, e estava pronto para fazer uma decisão de compra. Mas ele não se conseguia decidir se queria comprar o Camaro ou o Ford Mustang quando ia a caminho do concessionário Ford.

Um vendedor se aproximou-se dele e descobriu logo o dilema do homem.

“Diga-me o que você gosta mais no Camaro”, disse o vendedor.
“É um carro rápido. Eu gosto da sua velocidade. ”

Depois de alguma discussão, o vendedor soube que o homem tinha começado a namorar uma líder da torcida da faculdade. Então, o que é que o vendedor fez?

Simples. Ele mudou o seu discurso e dessa forma carregar nos botões emocionais, porque ele sabia que iria ajudar a promover a venda. Ele disse ao homem que a sua nova namorada iria ficar impressinada quando ele chegar a casa com este carro!

Ele colocou a imagem mental na mente do homem de ele e a sua namorada viajando para a praia no Camaro. E como todos os seus amigos irão ficar com inveja quando o virem andando por aí com uma bela garota num carro bonito.

E de repente o homem teve a visão. Ele entendeu. E o vendedor viu isso e trabalhou nesse ponto. E antes que você dê por isso, o homem escreve um belo cheque à concessionária Chevrolet!

O vendedor encontrou os botões emocionais e carregou neles como nunca antes até que o homem tenha percebido que ele queria mais o Camaro do que ele queria o seu dinheiro.

Eu sei o que você está pensando … o homem disse que gostava do carro, porque ele era rápido, não foi?

Sim era isso. Mas subconscientemente, o que ele realmente desejava era um carro que iria impressionar a sua namorada, os seus amigos, e na sua mente fazerem com que eles gostem ainda mais dele! Na sua mente, ele equiparado velocidade com emoção. Não porque ele queria uma quantidade infinita de multas de alta velocidade, mas porque ele pensava que a emoção seria iria torná.lo mais atraente, e mais agradável.

Talvez o homem nem sequer tenha percebido este facto. Mas o vendedor percebeu. E ele sabia quais os botões emocionais que tinha que pressionar para obter a venda.

Agora, porque a pesquisa dos botões emocionais dos clientes compensa?

Bem, um bom vendedor sabe como fazer as perguntas que lhe dirão quais os botões para carregar rápidamente. Quando você está escrevendo textos de vendas, você não tem esse luxo.
Portanto, por isso mesmo, é muito importante conhecer antecipadamente os quereres, as necessidades e desejos dos seus clientes. Se você não tiver feito o seu trabalho de casa, o seu prospecto vai decidir que prefere manter o seu dinheiro consigo do que comprar o seu produto. Lembre-se, copywriting é o vendedor em papel!

Tem sido dito muitas vezes: As pessoas não gostam de ser vendidas.
Mas elas gostam de comprar.
E compram antes de mais nada baseadas na emoção. Em seguida, elas justificam a sua decisão com a lógica, mesmo depois que elas já tenham sido vendidas emocionalmente. Por isso não se esqueça de suportar o seu discurso emocional com a lógica para nutrir a justificação no final.
E enquanto estamos neste assunto, falemos um pouco sobre os exageros nas páginas de vendas. Muitos marketeiros “conservadores” decidiram que eles não gostam de exageros, porque consideram os exageros um “estilo antigo”, já o fizeram, e acham que os clientes não vão cair nisso, já não é credível.

O que eles devem entender é que não são os exageros em si que não vendem bem. Alguns redatores menos experientes muitas vezes tentam compensar sua falta de investigação ou de não entender completamente o seu mercado-alvo ou o seu próprio produto, adicionando toneladas de adjetivos, advérbios e pontos de exclamação e muitos negrito.
Realmente! Se você fizer o seu trabalho, é não necessário.
Isso não quer dizer que alguns advérbios ou adjetivos não têm o seu lugar … só se forem usados com moderação, e somente se eles avançam para a venda.
Eu acho que você concorda que se suportar os seus textos com provas e credibilidade irá muito mais longe em convencer os seus clientes potênciais do que usando “palavras de poder” por si só.
Digo palavras de poder, porque há certos adjectivos e advérbios que têm sido provados em fazer a diferença quando são incluídos. Isto por si só não é exagero. Mas repetidos muitas vezes, tornam-se menos eficazes.
O que nos leva à nossa próxima dica…


Adicionar Comentário