O que é a cor, como funcionam as cores

A cor é uma característica da luz. Sem luz a cor não existe. A cor é composta por ondas electromagnéticas de diferentes comprimentos, das quais apenas algumas são perceptíveis pelo olho humano.

Através de um prisma, podemos decompor a luz e fazer aparecer as diferentes cores que a constituem : violeta, anil, azul, verde, amarelo, laranja e vermelho. O arco-íris, produzido pela refracção e reflexão dos raios solares em gotas de chuva, é composto pelas cores do prisma.

Existem ondas mais curtas antes do violeta (ultra­violeta) e ondas mais compridas para além do vermelho (infravermelhas). Contudo, não são perceptíveis pelo olho humano.

As diversas cores

As cores terciárias

Existem cores puras e cores obtidas por mistura. As cores primárias e secundárias formam a base das cores vivas, ou cores puras, que são reagrupadas consoante as suas dependências recíprocas, num esquema especial designado por círculo cromático.

São cores menos precisas, que resultam da com­binação das cores vizinhas no círculo cromático. Exemplo: o azul-violeta, cor terciária, obtém-se misturando o azul e o violeta.

As cores secundárias

São cores obtidas através da mistura das cores primárias em partes iguais: azul + amarelo = verde azul + vermelho = violeta vermelho + amarelo = laranja

Verde = azul + amarelo

Violeta = azul + vermelho

Laranja = amarelo + vermelha

COMBINAÇÃO DAS CORES

As cores complementares ou opostas

A cor complementar de uma outra é a que, no círculo cromático, lhe for diametralmente oposta. O vermelho é complementar do verde, assim como o violeta é complementar do amarelo, e o azul do laranja. São designadas por complementares simplesmente porque se completam.

Faça a experiência.

Observe, durante alguns momentos, uma superfície vermelha, bem iluminada. Se fechar os olhos rapidamente, verá aparecer, na sua retina, o verde, como se esta cor, a que não prestara atenção anteriormente, faltasse ao equilíbrio nor­mal e o seu cérebro a restituísse, Para existir uma harmonia cromática, isto é, para manter o equilíbrio e tranquilizar o espírito, o cérebro introduz, na retina, a cor complementar da que observámos.

Características da cor

Saturação das cores

O grau de intensidade de uma cor é designado por saturação. Todas as cores ditas puras (que não foram misturadas) são saturadas. As cores obtidas por mistura são tanto mais saturadas quanto a cor dominante se aproximar da cor pura.

As cores puras são mais luminosas no seu ponto de saturação. É curioso constatar que a cor, mesmo sem ser modificada através de uma mistura, pode aumentar de intensidade, tornar-se mais concentrada ou saturada.

As cores podem ser profundamente modificadas se forem misturadas com o branco. Com um pouco de branco, o vermelho carmim toma um tom azulado, o violeta fica mais claro, o amarelo perde um pouco do seu calor. Adicionar branco às diversas cores faz com que estas se tornem mais suaves até se distanciarem completamente do tom inicial,

Assim, podemos verificar que existe uma grande diferença entre o vermelho puro e o vermelho rosado, que, no entanto, têm a mesma origem.

Luminosidade da cor

Uma cor não se define apenas pela sua intensidade ou saturação, mas também pela sua luminosidade, que se caracteriza pelo teor em cinzento ou em preto. Na verdade, a grande maioria das cores que nos rodeiam, mesmo os azuis e os vermelhos muito vivos, contêm uma certa quantidade de cinzento,

O cinzento nem sempre é uma cor desvitalizada, uma simples mistura entre o preto e o branco, podendo assumir uma infinidade de tons. Um olho bem treinado é capaz de reconhecer um cinzento azulado, um cinzento amarelado, um cinzento esverdeado, um cinzento alaranjado, um cinzento rosado, etc. O cinzento tem a notável faculdade de se associar facilmente a todas as cores sem lhes tirar a essência, Aumentando progressiva­mente a proporção de cinzento, é possível tornar uma cor totalmente cinzenta. Contudo, este cinzento tem sempre um reflexo da sua cor original (cinzento azulado, cinzento esverdeado, etc). Comparando um cinzento proveniente do azul com outro obtido a partir do vermelho, podemos aperceber-nos de que um é frio e o outro é quente e que não se harmonizam entre si porque são muito diferentes.

Vvalores das cores

Os valores são a expressão da intensidade lumi­nosa das cores. O preto é o valor mais escuro e o branco o mais claro, O valor é, assim, a transposição, em intensidade luminosa, duma cor, sem ter em conta a qualidade da sua coloração.
Entre as cores puras, a escala dos valores é constituída da seguinte forma: o amarelo é a mais clara, vindo, de seguida, o alaranjado, o vermelho, o verde, o azul e o violeta (que é uma cor carre­gada). Mas os valores também podem ser dados pelas cores obtidas por mistura ou pelas cores a que foi adicionado o preto ou o branco. Obtém-se, assim, uma série de cinzentos com maior ou me­nor intensidade, mais ou menos coloridos, que têm valores particulares, mas, muitas vezes, iguais.

As sensações de igualdade ou de proximidade dos valores traduzem-se em vibrações, elementos vivos dentro de uma harmonia. As vibrações são calmas se os valores utilizam tons neutros, São estridentes se as igualdades são compostas por cores vivas. O jogo dos valores soma-se ao das cores na harmonia geral e deve ser correctamente doseado.
Para simplificar, pode dizer-se que, mesmo fotografando um motivo colorido com uma película a preto e branco, deve existir um bom equilíbrio geral.


One Response

  1. Jonathan Radde 29 de Abril de 2013

Adicionar Comentário