Combinação das cores

Uma cor não tem de ser obrigatoriamente pura para que as suas características sejam interessantes. As características das cores podem ser modificadas se estas forem misturadas com preto, branco ou outras cores. Estas misturas permi­tem tons compostos, os quais são difíceis de obter por pessoas inexperientes, mais interessadas em «tintas» que em «cores».

Fornecemos-lhe alguns exemplos simples:
um amarelo puro, misturado com branco, toma-se mais luminoso, mas, simultaneamente, um pouco mais azulado. Para conservar as suas características originais, é necessário juntar-lhe um pouco de amarelo dourado. Inversamente, este mesmo amarelo, misturado com uma pequena quantidade de preto, perde a sua luminosidade e ganha um tom esverdeado. Assim, é necessário temperá-lo com uma mistura de amarelo-ocre.
Os exemplos apresentados são muito simples, mas, para encontrar o tom desejado, ainda é necessário misturar quatro ou cinco cores em proporções diferentes. O tom obtido, se for misturado com outras cores, pode já adquirir uma densidade e uma presença impensáveis para um «amador».

Variações de uma cor

Uma cor clara, muito saturada e não contendo cinzento, é viva: azul puro, amarelo vivo, vermelho vivo.

Uma cor misturada com branco torna-se «pálida», suave: azul celeste, amarelo pálido, rosa.

Uma cor saturada, misturada com preto, adquire profundidade (por exemplo, azul escuro). Uma cor sombra misturada com um cinzento carregado, aproxima-se do preto, sendo, desta forma, esbatida ou «apagada». É possível temperar uma cor forte com uma por­ção de cinzento (isto é, um pouco de preto misturado com branco), mas uma cor pura perde a sua força luminosa quando misturada com o preto.

O verde suporta melhor que o azul esta mistura, mas perde rapidamente a sua luminosidade; o azul abandona a sua vivacidade; o vermelho toma-se violeta; o violeta toma-se «ameaçador»; o amarelo retrai-se, tomando-se mórbido e in­quietante.

Os esfumados são harmonias compostas por uma mesma cor, mas com valores diferentes. Por exemplo, o conjunto que vai do bege ao castanho, passando pelo castanho claro e a cor de tabaco amarelada, forma uma harmonia calma em esfumado. Estas harmonias também podem ser muito coloridas se forem feitas, por exemplo, em tons amarelos, passando do amarelo-limão ao ocre, utilizando os amarelos intensos e os brancos amarelados.

As harmonias em esfumado, mesmo coloridas, proporcionam sempre um sentimento de calma. Muitas vezes, para animar uma composição, ou seja, para que esta não seja demasiado calma, bastará uma pequena quantidade da cor comple­mentar.

Os contrastes da cor

Para não tomar uma composição demasiado confusa, convém não abusar das cores e usá-las com bom gosto e parcimônia.

Os contrastes coloridos podem ser notados de forma imediata, parecendo, simultaneamente, evidentes ou mesmo brutais. As crianças, quando começam a manipular a cor, têm tendência para utilizar cores muito contrastantes. Os povos dos países quentes também as utilizam, habituados que estão aos fortes contrastes entre a luz e a sombra.

Os contrastes mais fortes podem ser obtidos com as cores primárias, mas, igualmente, com as secundárias, sendo mais evidentes quando as cores são puras.

Os contrastes acentuam-se quando as cores são separadas com os brancos ou com os pretos. Com efeito, a impressão de contraste pode de­ver-se apenas à combinação de uma cor intensa com o branco ou com o preto, que intensificam a presença dessa mesma cor. Colocada perto do preto, uma cor parece mais brilhante e, perto do branco, torna-se mais baça, perdendo luminosi­dade.

Atenção, não convém confundir contraste colori­do com vibração colorida, de que falámos no artigo dos dos valores. O contraste colorido é sempre acompanhado pelo contraste dos valores,

Os contrastes de quantidade resultam da relação e forças entre as cores, os valores das cores, ou ambos. Para que se tenha uma sensação de equilíbrio, é necessário que os contrastes de quantidade sejam nítidos. De facto, se formos confrontados com superfícies (e quantidades) iguais de cores diferentes, teremos um sentimento indefinido. Pelo contrário, um conjunto dominado por uma cor, mas que, no entanto, seja realçado pelas cores complementares, proporciona uma sensação de estabilidade e de segurança. A cor minoritária toma uma densidade e uma intensidade mais fortes, como se se quisesse defender da «invasão» das restantes.

cores observadas à luz natural ou artificial

Se esta luz branca for transformada, o que se pode facilmente conseguir através da iluminação eléctrica, a percepção das cores modifica-se. A luz eléctrica clássica, com a sua cor amarela dominante, faz com que o amarelo pareça mais brilhante e o azul mais carregado. E se os objectos forem iluminados com uma luz vermelha, todas as suas superfícies vermelhas parecerão mais claras.

As lâmpadas de sódio eliminam totalmente as cores, não deixando aparecer senão os valores.


9 comentários

  1. Denise 30 de Agosto de 2012
  2. Nilceia Lessa 4 de Maio de 2013
  3. Marilene Vasconcellos 17 de Junho de 2013
  4. Joao Matteus 14 de Agosto de 2013
  5. Lucas Paulo 14 de Agosto de 2013
  6. Joao Matteus 14 de Agosto de 2013
  7. Lucas Paulo 14 de Agosto de 2013
  8. Marcelo Dos Santos 8 de Abril de 2015

Adicionar Comentário