Medir, marcar e nivelar são os 3 passos mágicos da boa bricolage

Para que qualquer trabalho seja feito adequadamente, têm de ser tiradas medidas precisas. Marcar também é muito importante, quer se trate de um pequeno ponto para um parafuso, de uma linha recta ao longo da qual será necessário cortar, ou de marcas mais complicadas em paredes. Nivelar é uma parte vital para tudo ter um aspecto correcto e ajustado. Isto implica fitas métricas, réguas, esquadros, fios-de–prumo e um mergulho no mundo dos níveis de bolha.

 

Como endireitar

 

Tenha cuidado: paredes, soalhos e tectos direitos não passam de um “sonho”. Raramente existem ângulos rectos entre paredes, soalhos e tectos; por isso, não parta do princípio que as medidas em ambas as extremidades de um compartimento são iguais. Os recantos das paredes são particularmente propensos a medidas inconsistentes, pelo que deve medir sempre a parte de trás dos mesmos, bem como o vão frontal, e tirar as medidas a intervalos.

Quando desenhar pontos ou linhas para marcar a posição de qualquer

objecto de fixação, utilize sempre um nível de bolha. Não confie nos seus olhos e não tire medidas a partir do chão ou do tecto, pelas razões atrás Invocadas. Para distâncias longas, utilize uma régua e um pedaço de madeira como guia, mas sempre em conjunto com um nível de bolha. Um fio-de-prumo criará automaticamente uma linha vertical quando pendurado num prego no topo de uma parede e é muitas vezes utilizado para marcar linhas-guia aquando da aplicação de papel de parede. Contudo, para isto são necessárias duas pessoas – uma para segurar o fio-de-prumo e a outra para desenhar as llnhas-guia; por isso, pode ser mais fácil cingir-se a um nível de bolha e uma régua de marceneiro.

Quando estiver a tirar medidas mantenha sempre a fita métrica esticada e direita – até um ligeiríssimo ângulo afectará a precisão das medições. Para marcar um pedaço de madeira, coloque uma pequena marca a lápis na extremidade oposta à que vai ser cortada. Se a madeira for estreita, utilize um esquadro de encosto para desenhar uma linha direita de um lado a outro.

 

Em pedaços mais largos, meça ambos os lados e una os pontos. Para garantir precisão em cortes mais extensos, marque a medida tanto no meio como nas extremidades e una os três pontos.

 

Como fazer uma marca

 

Marcar painéis requererá um cuidado ainda maior. Utilize o maior número possível de extremidades acabadas do material, pois é muito difícil cortar um ângulo recto perfeito. Marque as medidas com intervalos frequentes e utilize uma régua de marceneiro. Verifique os ângulos rectos com um esquadro de encosto ou assentador quadrado. Pode pedir a alguém de um centro de bricolage ou de uma serração que o corte.

 

Ao colocar um pequeno acessório ou peça, tal como um armário, em que são necessários dois ou mais parafusos, é uma boa ideia começar por marcar e fazer um furo. Logo que o primeiro furo estiver feito, fixe o artigo com um único parafuso e, em seguida, utilizando um nível de bolha, volte a colocar em posição o artigo e marque a localização dos outros furos. Retire o primeiro parafuso e o artigo, antes de executar os outros furos.

 

Como cortar a direito

 

Normalmente, cortar envolve um certo risco, mas com uma selecção de ferramentas e alguns conselhos consegue cortar linhas perfeitamente direitas em madeira, metal, plástico e outros materiais duros, tais como mosaicos, e manter todos os dedos intactos. “Meça duas vezes, corte apenas uma” deve ser o seu lema.

A qualidade de um corte dita a qualidade do trabalho acabado. Tal como um mau corte de cabelo diminui o efeito de um fato espantoso, um corte mal feito arruina um interior que, de outro modo, seria perfeito. Embora possa ser capaz de aparar o cabelo de uma amiga, provavelmente não tentaria um corte mais sofisticado; do mesmo modo, se um trabalho de bricolage envolve cortes sofisticados, peça a mais alguém que os faça.

 

cortes em madeira

 

A madeira é relativamente fácil de cortar com a ajuda de um adequado serrote afiado. Para além de controlar o serrote, para se manter em linha recta, tem de se certificar de que a lâmina está a cortar para baixo num ângulo de 90 graus ­senão, acabará por ter um corte em viés.

Os cortes curtos não são muito difíceis, mas os mais longos requerem uma maior destreza ou uma ferramenta específica, para se obter um acabamento perfeito. Mantê-los direitos não é fácil para um principiante mas, se tiver uma ferramenta de corte afiada e algo para prender firmemente o material é uma grande ajuda. Existem à venda no mercado várias bancadas de trabalho. Embora o nome possa sugerir imagens de estruturas gigantescas, a versão mais básica para bricolage consiste de dois pedaços de madeira no topo de uma armação metálica. Para além de fornecer uma superfície de trabalho, um mecanismo de torno permite-lhe prender um pedaço de madeira ou outro material entre os dois pedaços de madeira e mantê-lo fixo para mais facilmente o cortar, furar ou lixar.

 

detalhes das serras

 

Certifique-se de que o objecto a ser cortado se encontra uma superfície plana e firmemente preso num torno. Para

cortar com um serrote, comece por colocar o cotovelo (o pedaço junto ao punho) no ponto marcado na extremidade da madeira. Enterre suavemente a lâmina na madeira e puxe-a um pouco para trás, para abrir uma pequena fenda. Utilizando a fenda para posicionar a lâmina do serrote – na vertical e alinhada com a linha de corte – comece a serrar.

Não tire os olhos da linha de corte, para ter a certeza que está a serrar sempre em linha recta: verá que a serradura se acumulará por cima dela tapando-a e, por Isso, terá de a soprar de vez em quando. Se o corte se desviar muito da trajectória definida, pare e tente retomá-lo reposicionando a lâmina. Os cortes imperfeitos podem ser sempre aperfeiçoados com uma lixa de papel.

Alternativamente, utilize uma serra de recorte (o chamado tico-tico). Os modelos mais recentes executam cortes direitos e curvos em madeira com, aproximadamente, 70 mm de espessura e em metal com 40 mm de espessura, bem como na maioria dos plásticos. Uma velocidade variável permitir-lhe-á abrandar, pois os montes de serradura impedem-lo de ver o risco.


One Response

  1. Victor Dinis da Costa e Silva 21 de Dezembro de 2010

Adicionar Comentário