Como fazer junções em trabalhos de madeira

As ferramentas de que mais provavelmente irá precisar são: um serrote de costas; um esquadro de carpinteiro para marcar ângulos rectos; um riscador ou uma faca e um lápis para as marcações; uma fita métrica de aço para as medições; cola para trabalhos de madeira; pregos e parafusos; um martelo e uma chave de fendas; um berbequim c brocas; um formão e um macete.

Junção a topo

A mais simples de todas as junções, é usada para fixar duas peças de madeira perpendicularmente entre si, fazendo um L ou um T. Marque a extremidade da peça a ser ajustada usando um esquadro e um riscador e em seguida corte-a rigorosamente à esquadria com o serrote de costas, de modo que as superfícies a unir se ajustem perfeitamente.

Com o berbequim, abra furos para os parafusos: numa das peças, fure de lado (furos de passagem); na outra, abra furos-guia de pequeno diâmetro para que a rosca dos parafusos possa morder bem a madeira. Aplique cola nas duas partes em contacto e em seguida aparafuse-as uma à outra até a cola se escoar da junta. Limpe o excesso de cola.

As fibras da madeira nos topos não oferecem a firmeza necessária à fixação: assim, se a junta tiver de ser forte, introduza buchas de parede nos furos e aperte os parafusos nas buchas. Coloque estas de maneira que alarguem no ponto em que a madeira é mais larga.

Junção sobreposta

Este tipo de junção em T pode ser aparafusada, pregada e mesmo colada para maior resistência. Certifique-se de que ambas as superfícies se ajustam e aplique uma cola antes de esta secar; confira com o esquadro se as duas peças estão perpendiculares. Coloque os parafusos ou pregos através da peça mais estreita para a de maior espessura. Introduza os pregos em diagonal para evitar que a madeira rache.

Sambladura com entalhe

Uma peça de madeira mais delgada é encaixada em toda a sua espessura numa peça mais grossa — de modo que as superfícies fiquem ao mesmo nível. Pouse a extremidade da peça mais delgada sobre a outra peça. Marque a respectiva posição na madeira mais espessa com traços leves ao longo das arestas; em seguida, use o esquadro para desenhar duas linhas paralelas sobre os traços.

Marque a profundidade da peça a ser encaixada, depois use o serrote para talhar até ao nível requerido, cortando pelo lado de dentro das duas linhas paralelas. Com o formão e o macete, desbaste a madeira até que a peça a ser encaixada fique bem justa e com a sua superfície ao nível da da peça mais espessa. Aplique cola nas superfícies que irão ficar em contacto e pregue-as ou aparafuse-as uma à outra.

Sambladura à meia-madeira

Numa das peças de madeira, faça um rebaixo correspondendo à espessura de outra peça. Assinale na primeira peça a profundidade e a largura do rebaixo com o esquadro e o riscador e depois faça um corte com o serrote de costas. A profundidade de um rebaixo nunca deve exceder três quartos da espessura da madeira na qual é cortado. Cole as zonas de contacto; em seguida, aparafuse-as uma à outra ou pregue-as.

Sambladura em T com caixa e espiga.

Esta é uma junção muito resistente, mas requer uma certa prática para ficar perfeita. Para fazer esta junta, necessita de um graminho de carpinteiro, cujos dois espigões podem ser ajustados para marcar a largura exacta da caixa e da espiga. Esta pode ter até um terço da espessura da madeira onde vai encaixar, pois uma espessura maior iria tirar resistência à junção. Comece por marcar as linhas de corte para a caixa e a espiga com o graminho e em seguida com um lápis e o esquadro para que fiquem em ângulo recto. Faça a espiga ligeiramente mais comprida para que sobressaia da abertura da caixa e corte depois o excedente com a serrote de costas.

Marque a caixa em ambos os lados da peça de madeira para poder desbastar de um e outro lado. Use o berbequim para abrir uma série de furos ao longo da zona assinalada e em seguida utilize um formão e um macete para retirar a madeira, mas trabalhando sempre por dentro das linhas marcadas. Quando a espiga encaixar bem, aplique-lhe cola e depois introduza-a na caixa de modo a sobressair do lado oposto. Use o esquadro para verificar se as duas peças de madeira estão em ângulo recto e depois deixe a cola secar. Quando estiver firme, utilize uma lixa grossa enrolada num bloco de madeira para que a espiga fique à face do resto da madeira.

Uma junção com espiga dupla ainda é mais forte, pois é resistente à torção e a pancadas. Em vez. de uma só espiga, talhe duas lado a lado para inserir em duas caixas. Use um graminho para marcar as linhas de corte com exactidão; as espigas devem ter uma largura igual ao intervalo que as separa. Serre e cole como para uma junção com caixa e espiga simples.

Sambladura em cauda de andorinha

Use esta junção resistente para fixar travessas que tenham de suportar peso. Uma espiga, ou malhete, talhada em cauda de andorinha na extremidade da travessa entra num recorte com a mesma forma aberto na peça a que a travessa vai ser unida.

Marque a forma da espiga na travessa, mantendo a sambladura tão ampla quanto possível. Recorte com precisão com o serrote de costas, mas sempre por dentro das linhas das marcas.

Coloque a espiga sobre a segunda peça de madeira e risque com um lápis o contorno exacto do recorte da cauda de andorinha. Serre os batentes até à profundidade exacta da sambladura e desbaste, mantendo todas as faces em esquadria. Verifique antes de colar.

juncoes-madeira


Adicionar Comentário