Ferragem para o Concreto

Se o concreto é um material resistente e praticamente inalterável, é também um material fácil de se quebrar ou de se romper assim que se exerçam sobre ele pesos muito grandes. Para reforçá-lo, colocam-se ferros para que seja constituída uma armação, dando-lhe maior resistência.

MATERIAL

•   Ferros para concreto
•   Pranchão
•   Cavilhas
•   Arame recozido

 FERRAMENTAS

•   Gastalho
•   Grifo
•   Alicate corta-ferro
•   Torquês

FERROS

Os ferros utilizados são especialmente fabricados para esse fim. Trata-se, em geral, de barras de ferro cuja espessura pode variar, sendo mais usada a de 5 a 10 mm de diâmetro.

Utilizam-se ferros lisos ou trefilados (estes seguram melhor o concreto). Como os ferros devem ser dispostos em função da forma da peça a ser concretada, eles devem ser dobrados e amarrados de maneira que fiquem associados entre si.

SUPORTE DE DOBRAGEM

O suporte é constituído de um pranchão que deve ser preso na bancada, no qual se colocam cavilhas de ferro que constituem os pontos de apoio quando da dobra da ferragem.

GRIFO

É impossível dobrar e recurvar os ferros com a mão ou com uma torquês. Utiliza-se uma ferramenta especial chamada grifo, que consiste numa barra de ferro com entalhes de diâmetros diferentes nas extremidades. Antes de comprar um grifo, certifique-se que os diâmetros dos entalhes correspondem aos ferros que serão usados na sua construção.

ferramenta-grifo

DOBRA

A dobra tem por finalidade dar forma particular à ferragem em função do trabalho a ser feito, ou simplesmente recurvar a extremidade de um ferro que, utilizado sozinho, não escorregue no concreto depois de seco.

As cavilhas são colocadas de preferência de duas a duas, de modo a segurar fixamente o ferro e oferecer assim um ponto de apoio para a dobra. O espaço entre as cavilhas depende do diâmetro do ferro.

O espaçamento entre os pontos de apoio deve ser feito em função da forma que vai ser dada à ferragem. Meca a distância que separa dois pontos de apoio para obter uma ferragem conforme as exigências da peça a ser moldada.

DOBRA DA EXTREMIDADE DO FERRO

Essa dobra deve corresponder a normas precisas que são fáceis de respeitar: o raio de curvatura equivale a quatro vezes o diâmetro do ferro e a extremidade reta da dobra deve ter comprimento, no mínimo, igual a duas vezes o diâmetro.

CORTE DOS FERROS

Os ferros usados na feitura do concreto, apesar de não muito duros, não são fáceis de cortar. Uma torquês comum não é suficiente, devendo-se, para tanto, utilizar um alicate corta-ferro.

UNIÃO DOS FERROS

Freqüentemente é necessário unir os ferros entre si, seja para prolongar seja em vista de constituir­se uma armação completa que se apresenta sob a forma de uma carcaça que possa ser transportada.

A rigidez das uniões resulta de amarrações que devem ser executadas com arame recozido.

PROLONGAMENTO DE DOIS FERROS

Esse prolongamento é simples.
Para esse trabalho, usa-se arame recozido.

AMARRAÇÃO DAS FERRAGENS DAS LAJES

A moldagem de lajes de concreto exige que esta seja armada. Dispõe-se de uma malha de ferros regularmente espaçados entre si, de modo paralelo, que cruza perpendicularmente uma outra série de ferros igualmente espaçados. As amarrações são feitas no cruzamento dos ferros. Com o auxílio de uma torquês, os ferros são amarrados com arame recozido.

ferragens-lajes

FERRAGEM DE UMA VIGA

Essa ferragem, como a de um poste de concreto, necessita de dobra e prolongamento. A ferragem toma a forma da peça (um paralelepípedo) e se compõe de ferros retos, dobrados nas extremidades, e que a cada distância, ao longo da peça, são colocados ferros dobrados — os estribos.

DOBRA DOS ESTRIBOS

Para dobrar os ferros, isto é, confeccionar os estribos, são suficientes dois pontos de apoio formados pelas cavilhas de ferro. Estes dois pontos devem estar espaçados a uma distância correspondente a um dos lados do estribo que se deseja fazer.

A feitura do estribo começa com a dobra na extremidade do ferro, que permite uma ligação com o primeiro ferro reto, o que reforçará o conjunto no concreto.

A dobra se faz lado por lado, terminada por uma curvatura da outra extremidade do ferro. Veja nas fotos 14 e 15 a perfeita regularidade do estribo.

Marque o local dos estribos sobre os ferros retos e risque com giz. O espaçamento dos estribos depende da carga e do esforço que a viga terá que suportar. Normalmente esse espaço é de 20 a 30 cm, maspode ser reduzido para 10 ou 15 cm se a carga for muito grande. Esta distância pode variar de uma parte a outra da ferragem em função da distribuição da carga.

Coloque os estribos, suspendendo-os sobre dois dos ferros, tomando cuidado em alternar a posição das curvaturas das extremidades dos ferros dos estribos, o que melhora ainda mais o engate dentro do concreto, aumentando e repartindo os pontos de fixação.

AMARRAÇÃO DOS ESTRIBOS

Uma vez dispostos, os estribos são amarrados aos ferros retos. As amarrações devem ser bem apertadas porque é delas que depende a rigidez da armação metálica. Uma vez ligados os estribos aos dois primeiros ferros, vire o conjunto e proceda da mesma maneira como foi explicado anteriormente, amarrando os estribos aos outros dois ferros.

amarracao-estribos

A rigidez da ferragem deve permitir o transporte sem problemas do conjunto até o molde.

A ferragem de uma viga, tendo de suportar grande peso, pode compor-se de seis ferros em vez de quatro e, nesse caso, dois ferros serão colocados paralelamente no interior da ferragem já descrita: reúna-os por meio de uma curvatura dupla (já explicada no começo deste artigo).

FERRAGEM DE UM POSTE

Apesar de não ter que suportar o mesmo peso que uma viga, o corpo de um poste é armado de maneira equivalente àquela da viga: quatro ferros retos são associados entre si por estribos fixados por amarração, espaçados de 25 cm.

O pé do poste, que deve ter uma forma mais alargada, terá como base uma laje, ou seja, ferros que se cruzam em ângulo reto. A junção das duas ferragens se faz por amarrações, mas é possível dobrar os ferros dos postes de modo que eles se integrem diretamente à armadura do pé, constituindo assim quatro dos ferros horizontais do pé. Para os pequenos postes usados em muros, dois ferros ligados por curvaturas duplas de arame são suficientes.


24 comentários

  1. marlucia 1 de Dezembro de 2010
  2. carlos brito 13 de Fevereiro de 2011
  3. Alexandre 15 de Junho de 2011
    • Valmir 25 de Agosto de 2012
    • argentino 6 de Julho de 2013
  4. saulo de moraes 9 de Fevereiro de 2012
  5. Wemerson Etiene 25 de Abril de 2012
    • Carlos 1 de Junho de 2012
    • jose vicente cintra 1 de Agosto de 2012
  6. Jonatan Soeiro 8 de Maio de 2012
  7. Regina Celia Moralles Piva 19 de Maio de 2012
  8. Sabrina Diego 9 de Junho de 2012
    • argentino 6 de Julho de 2013
  9. GEOVANIR DE SOUZA LADEIRA 16 de Julho de 2013
  10. Valmir Alves de Oliveira 22 de Setembro de 2013
  11. Francisco K Yamaguchi 15 de Outubro de 2013
  12. Arilla 10 de Abril de 2014
  13. davi 30 de Novembro de 2014
  14. fabio 3 de Dezembro de 2014
  15. Manuel Anselmo Vieira 25 de Abril de 2015
  16. Marilda Dos Santos Mattos Mattos 8 de Dezembro de 2015
  17. sergio 16 de Julho de 2016
  18. kleber 3 de Janeiro de 2017

Adicionar Comentário