Como manter a humidade, ventilação e temperatura ideal em casa

A casa é um refúgio, um local de repouso, e, por vezes, um espaço de trabalho, que deverá proteger o homem contra as intempéries e as agressões exteriores, mas, também, constituir-se como um ambiente favorável ao seu bem-estar psíquico e ao bom rendimento das suas activi­dades.

A realização destas condições depende de três factores principais: a localização da habitação, o tipo de construção e a disposição das respectivas divisões.

Uma habitação será confortável e protegida se:

  • estiver bem isolada do frio pelo tipo de construção,
  • dispuser de janelas suficientemente amplas e colocadas de forma conveniente,
  • for bem arejada, mas sem correntes de ar,
  • puder ser mantida à temperatura ideal sem dificuldade,
  • permitir a delimitação de zonas funcionais, bem adaptadas e confortáveis,
  • puder receber um mobiliário prático.

A ventilação da casa

O homem consome oxigénio e expulsa dióxido de carbono e vapor de água. As quantidades variam consoante o peso, a alimentação, a activi­dade e o meio ambiente por onde este se move. Em média, numa hora, cada pessoa produz 0,020 m3 de dióxido de carbono e 40 g de vapor de água.

Ainda que um teor de dióxido de carbono na ordem dos 1 a 3 % seja apenas perceptível quando se respira profundamente, o ar de um quarto não deverá conter mais do que 1 % deste gás.
Em condições normais, são necessários 32 m3 de ar para um adulto e 15 m3 para uma criança.
Mesmo com as janelas fechadas, a circulação normal do ar em edifícios isolados é duas vezes superior, pelo que são suficientes os seguintes volumes de ar: de 16 a 24 m3 para adultos

O calor – a temperatura da casa

A temperatura mais agradável situa-se entre os 18 e os 20°C, para uma pessoa em repouso, e, conforme as tarefas, entre os 15 e os 18°C, para um indivíduo em actividade. O homem pode ser comparado a uma estufa: aquecido pelos alimentos que ingere, produz, em cada hora, cerca de 1,5 Kcal por quilo do seu próprio peso.

Assim, um adulto que pese 70 kg produz 105 kcal por hora, o que perfaz cerca de 2.520 kcal diárias, quantidade suficiente para aquecer 25 litros de água. A produção de calor varia de acordo com a posição em que o corpo se encontrar, aumentando quan­do a temperatura do ambiente baixa ou quando a pessoa se encontra em movimento.

As condições térmicas são o resultado de um compromisso entre a temperatura real de uma divisão e o calor libertado pelo corpo humano no seu meio ambiente. Um homem sentado e em repouso, que liberta poucas calorias para o seu ambiente, só se sentirá confortável se este ambiente estiver bem quente. Pelo contrário, para compensar o calor que um corpo humano liberta quando efectua um trabalho físico duro, é necessário baixar o nível da temperatura ambiente.

3. A humidade

Como já referimos, o homem, nas suas actividades, liberta vapor de água. A perda de água aumenta sempre que a temperatura ambiente também aumentar, sobretudo quando passa dos 37°.

A atmosfera de uma divisão é agradável quando o teor de humidade relativa se situa entre os 50 e os 60%, não devendo descer abaixo dos 40%, nem ser superior a 70%. Um grande teor de humidade favorece o desenvolvimento de doenças, a putrefacção e a condensação, enquanto que o ar demasiado seco irrita as mucosas do nariz e da garganta.

A luz e as cores na habitação

Uma boa iluminação pode evitar problemas oculares. A luz deverá ser abundante numa casa: antes defender-se do sol com persianas do que ter janelas ou portas muito pequenas. Existem certos vidros designados por «vita», que deixam passar os raios ultra violeta (benéficos para a saúde). Contudo, esta propriedade perde-se com o tempo.

As cores, por seu turno, também desempenham um papel importante no âmbito da percepção geral de um espaço.


Adicionar Comentário