Como combater pragas que poderão atacar as suas plantas

As pragas são, na sua maioria, insectos minúsculos que causam sérios danos às plantas, quer por se alimentarem dos seus tecidos, quer por lhes transmitirem doenças.

Ácaros de bolbos

Folhas recurvadas e com deformações, caules e folhagem com riscas ou pontuações cor de ferrugem são os sinais de infestação. Estes ácaros atacam sobretudo os narcisos e os hipeastros. No caso de infestação grave, destrua as plantas afectadas. Em casos menos graves, quando os bolbos estão em estado de dormência (no Inverno, portanto), mergulhe-os durante 2-3 horas em água à temperatura de 44°C. Se aparecerem indícios da presença de ácaros, aplique um acaricida todas as semanas até deixarem de aparecer novas pontuações.

Ácaros dos ciclames

É difícil combater este tipo de ácaros. As folhas das plantas afectadas tornam-se recurvadas e, em casos mais graves, totalmente torcidas. Também provocam descoloração e o aparecimento de pequenas crostas na superfície. As dálias, as begónias, os ciclames as fúcsias e os fetos são particularmente atreitos ao mal. Um meio de combater esta infestação consiste em pulverizar as plantas com uma solução de diazinão.

Afídios

Os afídios são insectos minúsculos de corpo mole, conhecidos também pelos nomes de piolhos das plantas e pulgões. Existem numerosas espécies que atacam plantas tão diferentes como as macieiras, as couves e as roseiras. Estes insectos causam danos consideráveis em muitas plantas decorativas e na maior parte dos frutos e vegetais. Atacam os tecidos dos caules, das folhas e dos frutos para sugar a seiva. Podem também infectar indirectamente muitas plantas de jardim, transportando a seiva de uma planta doente para uma saudável. Os afídios multiplicam-se prodigiosamente no tempo quente e húmido. Se não forem destruídos rapidamente, formam densas colónias que infestam os rebentos e as páginas inferiores das folhas. No Verão, pulverize as plantas infestadas com um produto adequado. Pode também usar um pesticida sistémico, isto é, um composto químico que, pulverizado sobre as folhas ou diluído na água da rega, penetra na seiva, que se torna então tóxica para os afídios. Alguns especialistas de jardinagem consideram que o insecticida deve ser variado de tempos a tempos para que os afídios não criem resistências a um produto específico. Quando aplicar pesticidas em plantas que se destinam à alimentação, deve aguardar um certo tempo antes de fazer a colheita. Os rótulos das embalagens indicam, em geral, qual o prazo a ser respeitado (intervalo de segurança).

Aranhiços-vermelhos

Existem duas espécies: o aranhiço-vermelho-das-árvores-de-fruto, que ataca em especial as macieiras e os vários tipos de ameixoeiras, e o aranhiço-vermelho-das-estufas, que ataca as plantas de estufa e as plantas de interior, bem como alguns arbustos e plantas herbáceas. Embora se trate de duas espécies distintas, produzem efeitos semelhantes nas plantas que atacam. As folhas apresentam pequenas manchas e adquirem uma coloração amarela ou tom de ferrugem, chegando a cair em casos de afecção mais grave. Os aranhiços-vermelhos-das-estufas deixam nas folhas uma fina teia de aspecto sedoso. Para combater os aranhiços-vermelhos-das-árvores-de-fruto, pulverize no Inverno com dinitro ortocresol (DNOC) e, logo depois da floração, aplique dimetoato, dinocap ou malatião. Para desinfestar as plantas dos aranhiços-vermelhos-das-estufas, pulverize cuidadosamente com dimetoato, malatião ou diazinão em meados e fim da Primavera.

Bichas-cadelas

As bichas-cadelas alimentam-se de noite, roendo as folhas e capítulos dos crisântemos, clematites e dálias. Atacam igualmente legumes, como os pepinos e tomates. São particularmente activas nas estufas e chegam a entrar nas habitações. Podem apanhar-se as bichas-cadelas com vasos cheios de palha deixados de boca para baixo durante a noite junto das plantas infestadas. De manhã, sacodem-se os vasos sobre uma tigela de água quente para matar as bichas-cadelas. Proteja as plantas pulverizando-as com lindano ou malatião em pó ou líquido. Limpe periodicamente o lixo do jardim, que serve de abrigo às bichas-cadelas.

Cochonilha

Esta praga ataca principalmente as plantas cultivadas em locais aquecidos como as estufas e forma colónias que parecem flocos de algodão. As cochonilhas procuram, em geral, as zonas mais tenras da planta (ápice, rebentos, folhas novas, etc), mas quando o ataque é muito forte, podem aparecer em qualquer órgão da planta. Para combater as cochonilhas, pulverize bem as plantas maiores com malatião ou diazinão e repita, se necessário, 15 dias depois. Para se livrar da cochonilha em plantas pequenas ou de interior, use um pincel para pintar as colónias com um dos pesticidas referidos. Repita o tratamento, se necessário, mas sempre com cuidado, pois qualquer destes pesticidas é bastante tóxico para pessoas e animais.

Pragas galícolas

Como o seu nome indica, os sinais de infestação são o aparecimento de galhas nas folhas e nos botões da planta. Para desinfestar, pulverize a planta na Primavera com calda sulfocálcica.


Adicionar Comentário