Problemas com água em casa

Os serviços de água, electricidade e gás colocam à nossa disposição não só os bens essenciais para a vida, como também o conforto da água quente, iluminação e aquecimento central. As nossas casas contêm redes complexas de tubos de água, cabos eléctricos e condutas de gás, a maioria dos quais se encontram escondidos para que o nosso único contacto com eles se faça apenas através do interruptor ou da torneira. Ligar às nossas casas os fornecimentos de água, electricidade e gás é da responsabilidade dos serviços de saneamento das câmaras municipais e empresas públicas de electricidade ou gás. Do mesmo modo, a instalação e manutenção de aparelhos e acessórios, estão sujeitos a rigorosas medidas de segurança. Qualquer trabalho de grande envergadura deve ser sempre levado a cabo por um profissional. Nunca toque em nada relacionado com ligações de gás, pois as consequências de um manuseamento inadequado podem ser catastróficas. Contrate sempre um profissional credenciado.

Caso ocorra uma rotura na água, saber onde está localizada a torneira de interrupção pode evitar uma calamidade enquanto aguarda pela sua chegada. Encaramos a electricidade como algo que conhecemos bem e estamos acima de tudo cientes dos seus perigos, mas por vezes, inconscientemente corremos riscos ao sobrecarregarmos uma tomada ou utilizarmos uma lâmpada errada. Compreender a relação entre watts, volts e amperes ajudará a evitar potenciais perigos.
Os incidentes menores, como uma torneira a pingar ou um fusível queimado, são irritantes mas não colocam em perigo a nossa vida e podem ser facilmente remediados. Contudo, também podem ser uma indicação de que algo errado está a acontecer no sistema, ou um problema pior em qualquer outro sítio.

Faz sentido ser cuidadosa quando se trata de lidar com água e electricidade; por isso, reprima o seu entusiasmo e utilize a bricolage apenas nas partes exteriores das torneiras, tomadas eléctricas e acessórios de iluminação, deixando as reparações complexas dos sistemas de abastecimento de água e dos circuitos electricidade a cargo de canalizadores ou electricistas especializados. Contudo, existem muitas oportunidades de melhorar o ambiente do seu lar se utilizar alguns dos inumeros candeeiros e aparelhos eléctricos à venda no mercado e pode ser que a desagradável rotura do seu chuveiro não necessite de um dispendioso trabalho de uma canalização para ser substituído, tratando-se apenas de aparafusar uma nova manete de duche.

Problemas com a água

Embora não seja tão perigosa quanto o gás ou a electricidade, até uma pequena quantidade de água no local errado pode causar danos gigantescos. Uma rotura persistente, não detectada durante um certo tempo, pode causar tantos danos quanto uma inundação, pelo que vale a pena estar atenta e certificar-se de que tudo se encontra bem vedado e estanque.

Inundação
No caso de surgir uma súbita e dramática rotura, feche imediatamente a torneira de abastecimento. Se a origem não for imediatamente detectável, chame um canalizador.

Válvula de passagem

Uma torneira no contador permite-lhe interromper o abastecimento de água. É importante saber onde se encontra a válvula de passagem. Na maior parte dos casos encontra-se junto ao contador, mas a localização varia. Podem existir torneiras de passagem para que o fornecimento de água possa ser interrompido em áreas seleccionadas.

Fugas
Algumas fugas de água podem causar enormes danos a uma casa, principalmente se não forem detectadas a tempo. Gotejamentos, humidade ou um cheiro estranho podem ser indicadores de uma rotura, pelo que deve sempre investigar.

Tubos danificados
As fissuras nos tubos podem ocorrer por variadas razões. As fissuras com a espessura de um cabelo são difíceis de detectar e, como a água que escorre muitas vezes viaja ao longo do tubo antes de começar a cair, a localização de uma zona molhada nem sempre coincide com o ponto da rotura.
Se estiver acessível, repare temporariamente o tubo cobrindo-o com fita isolante auto-adesiva, uma fita bastante resistente e pegajosa feita especialmente para estes trabalhos.

Mau isolamento
A água pode passar através de aberturas extremamente pequenas; a mástique em torno das banheiras, lavatórios e lava-loiças é particularmente vulnerável. Conselho principal: quando estiver a isolar uma banheira, encha-a de água e deixe ficar até a mástique secar. Se não o fizer, o peso da água e da pessoa que for tomar banho arrancará a mástique da parede e anulará o isolamento.

Juntas com fugas
As juntas e isolantes de tubos de abastecimento de água, esgotos e ligações a aparelhos são os locais onde ocorrem mais fugas de água. As áreas por trás de duches, lavatórios, máquinas de lavar roupa e loiça são particularmente vulneráveis, pelo que deve examiná-las de tempos em tempos.
As causas mais comuns são as más fixações, bem como roscas e anilhas de torneira gastas. Se necessário, tente apertar tudo muito bem com uma chave de bocas (mas não force nada).
Se a fuga de água persistir, enrole fita de teflon (uma fita plástica muito fina, à venda em lojas de ferragens e centros de bricolage) em redor da rosca e volte a apertar. Substitua as anilhas da torneira e, se o problema não ficar resolvido, substitua as torneiras ou a junta.
Ser-lhe-á fácil reparar mangueiras de ligação e sifões de plástico, mas é aconselhável contratar um canalizador no caso de se tratar de tubos metálicos.

Reparar um gotejamento
A origem mais comum do gotejamento numa torneira está numa anilha gasta. Substituir uma anilha é outro clássico do mundo da bricolage e, por isso, nenhuma mulher emancipada que se preze gosta de admitir que teve de chamar um canalizador para executar tal tarefa. Contudo, há muitos modelos de torneiras, alguns sem anilhas, e o acesso nem sempre é fácil. Por isso, não se envergonhe se tiver que chamar um canalizador.
As torneiras modernas podem ter discos de cerâmica ou argolas de borracha, em vez de anilhas. Como o disco de cerâmica se encontra inserido num cartucho, resolver qualquer problema pode implicar a aquisição de um novo. As argolas de borracha podem ser relativamente fáceis de substituir. Um exame ao interior da sua torneira determinará se é ou não possível levar a cabo qualquer trabalho de manutenção.
Se possui torneiras tradicionais (como as da ilustração), não é complicado substituir uma anilha. Se não se sentir à vontade com o interior da torneira e não souber o que fazer procure o conselho de um canalizador, o qual lhe poderá recomendar uma nova torneira (que não custa necessariamente uma fortuna) caso a sua seja velha ou de fraca qualidade.

Gestão dos esgotos
Todas as descargas são canalizadas para a rede pública de esgotos.
As banheiras, chuveiros, lava-loiças e máquinas de lavar descarregam eventualmente para um único tubo ligado à rede de esgotos, mas a sanita está ligada a um tubo de esgoto separado. Estes dois sistemas ligam-se a uma caixa de visita enterrada e em seguida os três são canalizados para a rede pública ou fossa séptica.

Mitigar essa sede
Em geral, a água das torneiras directamente ligadas à rede pública é própria para consumo. Não é aconselhável beber água de reservatórios, pois não é pura e pode conter impurezas que se soltam das paredes do reservatório.

Resolver a falta de pressão
Em geral a pressão da água é boa junto ao contador, mas pode perder-se depois de ser canalizada para reservatórios, principalmente se o posicionamento do reservatório significar que existe um fluxo de água insuficiente para fornecer uma boa pressão.
Se tiver problemas de falta de pressão peça conselhos a um
canalizador, o qual pode sugerir-lhe que substitua a canalização ou instale bombas de água.

Aliviar
A qualidade da sua água pode afectar o fornecimento. Em áreas de água muito calcária a acumulação de calcário no interior dos tubos, em redor das torneiras e manetes de duche, pode contribuir para a redução do fluxo. Existem à venda no mercado vários produtos para a remoção ou redução da acumulação de calcário. Leia sempre as instruções, pois muitos deles não são apropriados para certos materiais como, por exemplo, o esmalte.
Existem à venda vários sistemas para filtragem da água e muitas pessoas optam por colocar filtros para melhorar a qualidade da água potável. Para conselhos e instalação dos mesmos, fale sempre com um fornecedor idóneo.

Desentupir lava-loiças e sanitas
Os tubos de escoamento de lavatórios, lava-loiças, sanitas e canos de esgoto têm uma dobra ou sifão, onde uma pequena quantidade de água que ali se deposita evita que os cheiros dos esgotos entrem em casa. Estes sifões são locais perfeitos para entupimentos. Normalmente, os lavatórios e lava-loiças possuem um sifão de plástico com uma tampa plástica, a qual pode ser desaparafusada para permitir que sejam desentupidos. Também pode existir uma tampa de acesso no tubo de ramal (um pedaço de tubo direito por trás do sifão) e este pode ser desentupido mediante a utilização de um arame com um gancho na ponta – os cabides de arame são ideais para este fim!
Contudo, existem bastantes produtos para desentupir canos para serem vertidos nos ralos e sanitas, que entram em efervescência e derretem a gordura acumulada, restos de comida e outras substâncias que não convém mencionar. Por vezes uma única aplicação não é suficiente.

A soda cáustica é um desentupidor extremamente eficaz, mas deve ser utilizada com cuidado. Há sempre à venda em pó que, misturado com água, se torna alarmantemente quente e emite vapores. Siga cuidadosamente as instruções da embalagem, calce luvas de borracha espessa e não inale os vapores. Todos estes produtos são altamente corrosivos, pelo que os deve manter afastados das superfícies, vestuário e pele.
Se o problema persistir pode ser uma indicação da existência de um entupimento sério numa zona mais abaixo do tubo – se não se sentir segura, chame o tal canalizador!

Reparar autoclismos e válvulas de depósito de água
Tal como nas torneiras, o tipo de cisternas de autoclismo varia e muitas das mais recentes dispensam a tradicional bóia flutuante que era utilizada há muitos anos atrás. Se o autoclismo não encher, retire a tampa (desde que esteja acessível) e se tiver uma bóia flutuante (também conhecida por válvula de depósito de água) verifique a ligação da bóia e certifique-se de que a bóia se encontra presa ao braço. Se a cisterna não parar de encher verifique se a bóia está a funcionar. Se a água ultrapassar a linha de descarga, verifique se a bóia se encontra ajustada de modo a que o nível da água se encontre abaixo da linha de descarga. Se a água não parar de entrar na cisterna, pode ter de substituir o sifão. Se terá de ser você a tratar destes problemas dependerá do conhecimento que tem do funcionamento do seu autoclismo e da facilidade de aquisição das peças e respectiva substituição. Uma conversa com o simpático empregado de uma casa de ferragens pode esclarecê-la e oferecer-lhe uma solução.


2 comentários

  1. Sandra Marcelo 7 de Outubro de 2012
  2. wilson 17 de Abril de 2015

Adicionar Comentário