Como fazer uniões de canto

As uniões angulares de canto são ilustradas principalmente por aquelas denominadas a rabo, das quais você encontrará em nosso artigo a versão mais simples chamada a rabo reto ou espiga, que se parece com as uniões por forquilhamento.

Uniões de rabo

Para unir duas peças de canto, os profissionais fazem a união rabo-de-andorinha, difícil de se conseguir em virtude da forma trapezoidal das ensamblagens que devem corresponder exatamente às da outra peça.
Esta união é extremamente segura por causa dos rabos que ficam completamente ajustados.
Existe também uma versão chamada rabo de gaveta, na qual a união é visível apenas de um lado, cujo nome foi tirado de sua aplicação na construção de gavetas.

Uniões de rabo reto

Mostramos a mais fácil das uniões de rabo: a união de rabo reto, que não tem as complexas formas trapezoidais dos rabos-de-andorinha, e é visível dos dois lados.
Seu princípio lembra de pronto o das uniões por forquilhamento, pois a união de rabo reto se apresenta como uma série de forquilhamentos paralelos (esta série comporta mais ou menos forquilhamentos, conforme a largura das peças a serem unidas).
Procedimento que facilita o traçado: um compasso, cuja abertura é regulada na largura de um dos rabos (esta última sendo um submúltiplo da largura total da madeira), permite transportar as mesmas dimensões de um rabo ao outro.
As duas peças, unidas por um gastalho independente ou preso à bancada, permitem traçar ao mesmo tempo os rabos (machos e fêmeas) correspondentes.

Uniões de rebaixo simples

Nesse caso é suficiente serrar somente uma das peças, e o canto da segunda vem se encaixar no rebaixo feito na primeira. As dimensões do entalhe são as seguintes:
• sua largura cobre toda a largura da madeira;
• seu comprimento é igual à espessura da peça que irá se alojar nele;
• sua profundidade, enfim, é igual à metade da espessura da madeira na qual ela é feita.
Essas uniões devem ser reforçadas por pregos. Utilize pregos sem cabeça para que possam ser rebaixados com um punção.

Uniões por entalhe inglês

O entalhe inglês, ou entalhe duplo, é uma variação do entalhe simples. Enquanto no entalhe simples somente uma das peças é serrada, no entalhe inglês são serradas as duas extremidades das peças que vão estar em contato.
A peça é dividida em duas partes, no topo, no sentido da largura; o corte é feito de maneira a criar um entalhe, isto é, uma reentrância reta em cada uma das peças (é suficiente o uso do serrote de costas).
O primeiro entalhe recebe o macho da outra peça, macho particular, pois uma de suas faces é a própria parte frontal da madeira.
O segundo entalhe tem a mesma espessura que a outra peça.
Essa união deve ser reforçada por pregos que devem ser bem cravados. Deve-se ter o cuidado para que a madeira não rache quando da colocação dos pregos.
Se insistimos sempre em cravar bem os pregos, não é tanto por razões estéticas, mas sim para que a união fique limpa e sem ranhuras que possam enganchar em alguma coisa ou machucar alguém.

União a madeira de topo

Nesse caso é necessário fazer um entalhe nas extremidades que vão estar em contato.
As dimensões deste entalhe correspondem à espessura das peças e à metade da largura delas, estando subentendido que as duas peças têm a mesma largura.
O corte se faz com o serrote de costas, vertical e horizontalmente, com a peça presa na bancada.
A união deve ser ainda colada e pregada.

Conclusões

Segundo a espessura e largura das peças, deve-se escolher uma ou outra união.
Certamente já foi notado que todas as uniões apresentadas, com exceção das feitas por rebaixo, são feitas com peças de pequena espessura, mas de grande largura; contrariamente as uniões por forquilhamento se aplicam, em princípio, a peças mais espessas e mais estreitas.
Servimo-nos dessas uniões para a construção de cofres, gavetas, módulos etc, e todas as realizações que necessitem de uniões de peças pouco espessas de ângulo reto e de canto.


Adicionar Comentário