“Papá, posso ter um cãozinho?”

Mais tarde ou mais cedo, qualquer pai vai ter de lidar com uma questão: “papá, posso ter um cãozinho”. Em vez de tentar escapar à pergunta do seu filho, os pais devem considerar se a família está ou não preparada para acolher um animal de estimação nessa altura, aconselham os especialistas em educação e cuidados para crianças.

Os pais devem pesar os prós e os contras de acrescentar mais um “membro” à família, antes de concordarem em oferecer o animal de estimação à criança.

Deve ter em atenção os seguintes pormenores:

  • Quem vai cuidar do animal de estimação? As famílias devem concordar de antemão quem será responsável pela alimentação, por levar o animal à rua, por dar banho e ter todos os cuidados de saúdo com o animal.
  • Tem espaço para o animal? Famílias que vivem em apartamentos ou moradias podem preferir um gato, um pássaro ou peixe, em vez de um labrador. Verifique a biblioteca ou Internet para saber mais sobre os diferentes tipos e raças de animais de estimação e  para determinar o mais adequado para a sua família.
  • Tenha atenção ao seu orçamento – Possuir um animal de estimação é uma demanda a longo prazo e pode ser bastante dispendiosa. Os membros da família têm de estar preparados para fazerem sacrifícios e para a possibilidade de abandonarem certas atividades para terem disponibilidade para o animal.

 

Se a perspectiva parece muito difícil, os pais podem sugerir à criança para esperar até ter idade suficiente para ajudar a cuidar de um animal. Possuir um animal de estimação é um compromisso de longo prazo, por isso pense com cuidado antes de adotar um novo membro da família.


Adicionar Comentário