Como remar

Não reme se não souber NADAR. Também não deve remar com mau tempo ou quando há ameaça de temporal, e se o tempo estiver incerto, vista um colete de salvação. Não reme numa corrente forte; num rio, procure saber se existem represas ou açudes nas imediações.
Técnicas básicas. Entre com cuidado para o meio do barco e sente-se direito, virado para a popa. Firme os pés contra os lados do barco ou num apoio. Encaixe os remos nas forquetas.
Segure os remos de forma que as pás fiquem verticais e mesmo acima da água. Empurre os punhos dos remos ligeiramente para baixo e para a frente até que os seus braços fiquem estica¬dos; levante os punhos até que as pás estejam submersas e puxe então com força para trás, mantendo as pás verti¬cais. No fim deste movimento, baixe os punhos, levantando as pás da água. Repita todo o movimento desde o princípio. Quando já estiver bem treinado, pode utilizar uma técnica suplementar, que consiste em pôr as pás na horizontal, através de um movimento dos pulsos, quando estão fora de água, oferecendo assim menos resistência ao vento.
Remar para trás e virar. Para andar para trás, inverta o movimento de modo a empurrar o remo dentro de água, em vez de o puxar.

Como remar :
Altere o ângulo das pás com movimentos dos pulsos. Enquanto estão dentro de água, as pás devem manter-se verticais.
Mantenha os pulsos e os braços nivelados enquanto puxa as pás dentro de água.
Empurre os braços para baixo no fim do movimento e dobre os pulsos para que as pás liguem horizontais à superfície da água.
Empurre os remos para a frente. mantendo os pulsos flectidos e as pás horizontais sobre a água, até os braços estarem esticados.
Dobre de novo os pulsos, mas no sentido inverso, para pôr as pás perpendiculares à água.

Para virar um barco, faça mais força no remo oposto à direcção para onde quer virar.
Quando se aproximar de um cais ou de um molhe, faça-o contra o vento ou contra a corrente, conforme o que for mais forte.
Se o seu barco se voltar, tente endireitá-lo. Aconteça o que acontecer, não abandone o barco, pois, mesmo virado, ele bóia e é sempre mais fácil para os eventuais salvadores encontrarem um barco do que uma pessoa.


Adicionar Comentário